Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Judô vê resgate de força com Grand Slam no Brasil

Brasília sediará etapa do evento, terceiro maior da modalidade, em outubro

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 03/04/2019, às 07h00 - Atualizado às 10h00

Imagem Judô vê resgate de força com Grand Slam no Brasil

O período pré-Jogos Olímpicos do Rio 2016 foi marcado por uma intensa movimentação no mercado brasileiro de eventos esportivos. Diversos atletas e entidades queriam fazer competições no Brasil para poder se aproximar do público local e, também, conhecer o país que receberia os Jogos. 

Os anos seguintes ao Rio 2016, no entanto, foram marcados pela evasão de grandes eventos do país. Até por conta disso, a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) celebrou nesta terça-feira (2) o acordo que costurou para que Brasília seja sede de uma etapa do Grand Slam, terceiro maior evento da modalidade, entre 6 e 8 de outubro. 

Rafaela Silva é atual campeã olímpica no judô (Foto: Reprodução)

"A volta do Brasil ao cenário internacional da modalidade vem para resgatar a credibilidade enquanto produto do judô brasileiro. Serão três dias de transmissão ao vivo para mais de 130 países. Foi um longo processo de negociação junto à Federação Internacional de Judô, mas o resultado fez valer a pena todo o esforço", afirmou Mauricio Santos, executivo da MCS, agência de marketing da CBJ.

Segundo o executivo, que esteve à frente das outras vezes em que o país abrigou o campeonato, pelo fato de o Brasil ser o país-sede da competição, terá o direito de comercializar os direitos de transmissão para o território nacional e, também, metade das cotas de patrocínio da disputa, que deve ser uma das últimas a somar pontos para os atletas se qualificarem aos Jogos de Tóquio 2020.

"Assim como fizemos no Mundial do Rio 2013, a CBJ vai assumir a geração de imagens do evento e, com isso, já estamos negociando estas propriedades", disse.

Esta será a quinta vez que o Brasil sediará uma etapa de Grand Slam de judô. As quatro primeiras edições foram em 2009, 2010, 2011 e 2012, todas no Rio.

Foto: Divulgação

"A realização do Grand Slam em Brasília é uma grande conquista para a capital do Brasil. Foi fruto de um trabalho conjunto da Secretaria de Esporte e Lazer do Distrito Federal, da CBJ e da FIJ. Brasília vai voltar a sediar grandes eventos internacionais", disse Leandro Cruz, secretário de Esporte e Lazer do DF, em nota.

Para o presidente da CBJ, Silvio Acacio Borges, a realização do Grand Slam no país possibilita mais chances aos atletas nacionais. Serão quatro por categoria.

"Acredito que este era um grande anseio dos nossos atletas e da comunidade do judô brasileiro. Estamos muito felizes e motivados com o desafio de realizar o Grand Slam Brasília 2019, que será de suma importância para os nossos atletas na corrida por uma vaga em Tóquio. É uma grande oportunidade de mostrarmos que o judô brasileiro está preparado para vencer dentro e fora dos tatames", afirmou o mandatário.