Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Kia terá naming right da Copa do Brasil

Kia terá naming right da Copa do Brasil

Gustavo Franceschini em São Paulo - SP Publicado em 12/02/2009, às 18h00

A Copa do Brasil terá, pela primeira vez em sua história, um patrocinador com os naming rights do torneio. A Traffic, que comercializa a competição, acertou com a Kia Motors, que vai, a partir de 2009, inserir seu nome no título do principal torneio de clubes mata-mata do país. ?Nós pensamos nesse modelo e conseguimos a aprovação da Confederação Brasileira de Futebol [CBF], e aí fomos ao mercado e conseguimos êxito com a Kia?, disse Eduardo Barrieu, diretor comercial e de marketing da Traffic, que coordenou o processo. Além da montadora, que aproveitará o potencial regional da Copa do Brasil para promover suas concessionárias pelo país, outras cinco empresas renovaram a parceria. Visa, Embratel, Rodobens, 51 e Vipal vão manter o apoio à competição, com as duas primeiras como principais e as demais como secundárias. As ações de ativação no gramado vão envolver, principalmente, a implantação de um tapete no centro no gramado e publicidade inflável e nos corners, além de ações antes e no intervalo das partidas. Regionalmente, o marketing de relacionamento também deve ser bem explorado. A Kia, por exemplo, deve distribuir ingressos para as suas concessionárias e, consequentemente, para os clientes. O sucesso de vendas tem a ver com a resposta que a Traffic obteve do mercado no ano passado. Segundo Barrieu, uma pesquisa encomendada à Informídia analisou as patrocinadoras em 15 dos 128 jogos disputados, e percebeu um retorno de 14 vezes mais que o valor investido. Será, no entanto, apenas a segunda experiência do tipo na história do futebol brasileiro. Em 2002, a Visa nomeou o Campeonato Brasileiro, mas desistiu do negócio já no ano seguinte. Um dos principais motivos para a rejeição, a recusa da Globo em citar o nome dos patrocinadores, não deve ser um empecilho desta vez. ?Ela é a nossa principal parceira de TV, mas não tem o poder de intervir nas negociações. Eles não falam porque é uma postura deles, mas o que está na arena vai para o ar. Acho que o mercado agora está muito mais preparado para isso?, disse Barrieu. No ano passado, a Globo vetou uma proposta do Banco do Brasil, que pretendia nomear os três próximos Campeonatos Brasileiros. Responsável pela comercialização do evento, a emissora usou o seu direito de recusa por ter o Itaú como cotista de sua programação. Como não participa do processo em relação à Copa do Brasil, a rede carioca terá de aceitar a novidade da Kia. ?Nós já passamos por esse conflito antes. Nós já tivemos a Marabrás como parceira, enquanto as Casas Bahia é que apoiam a Globo. Não existe problema nenhum?, disse Barrieu, ressaltando que a Volkswagen é patrocinador do futebol na emissora.