Lide estabelece metas para Rio-2016 e nível de tenistas

Paulo Nigro, presidente do Lide Esportes, revelou plano de metas

Paulo Nigro, presidente do Lide Esportes, revelou plano de metas

Braço esportivo do Lide, grupo de empresários comandado por João Dória Júnior, o Lide Esportes promoveu neste sábado a primeira edição do Fórum Nacional do Esporte. No evento, a instituição apresentou um pouco sobre seus planos de investimento para a criação de uma política de atividade física no país, baseado em renúncias fiscais. E também mostrou que possui metas de desempenho: apoio a pelo menos um medalhista nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, e a garantia de que o país terá um mínimo de dois atletas entre os cem primeiros da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) até 2020.

As metas esportivas têm relação direta com o modelo de investimento do Lide Esportes. Atualmente, o grupo tem associações com o Instituto Joaquim Cruz, o Instituto Atletas pela Cidadania e o Instituto Tênis.

O que chama atenção é uma comparação com um projeto esportivo de porte muito maior. Em outubro do ano passado, a Petrobras lançou uma iniciativa com previsão de investimento de R$ 265 milhões até 2014 em cinco modalidades olímpicas (boxe, esgrima, levantamento de peso, remo e taekwondo). E sem meta de desempenho.

O Lide Esportes é uma reunião de empresários em torno desse segmento. A base é o modelo do Lide, que reúne 816 empresas e concentra 45% do produto interno bruto (PIB) privado.

Além da meta esportiva, o Lide Esportes tem como objetivo uma melhora nos indicativos esportivos em escolas públicas. A ideia do grupo é agir em 80% dessas instituições até 2018, e chegar ao total de entidades de ensino em 2022.

Neste sábado, o presidente do Lide Esportes, Paulo Nigro, citou como exemplo do que o grupo pode fazer a campanha Natal do Bem, que é desenvolvida pelo Lide. Trata-se do terceiro maior evento social do Brasil em arrecadação líquida.

“Nós temos muitas oportunidades aqui. O Brasil tem se desenvolvido muito em diferentes áreas, e o esporte ainda está um pouco atrás”, disse Paulo Nigro.