Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Liga Mundial de Surfe reativa e amplia parceria global com Airbnb

WSL e plataforma on-line já haviam assinado acordo uma vez em 2016

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 11/05/2018, às 11h53

Imagem Liga Mundial de Surfe reativa e amplia parceria global com Airbnb

A Liga Mundial de Surfe (WSL) e a plataforma on-line Airbnb anunciaram nesta quinta-feira (10) a reativação e a ampliação de uma parceria global que já existiu em 2016. O objetivo dessa vez é levar aos viajantes experiências de surfe locais e exclusivas.

De acordo com o Airbnb, a partir do momento do anúncio da parceria já foi possível para os interessados reservar uma das 75 experiências oferecidas por profissionais de surfe, treinadores certificados ou influenciadores em dezenas de destinos diretamente na plataforma. Um terço dessas experiências está no Rio de Janeiro.

Foto: Reprodução / Twitter (@bethanyhamilton)

“O surfe é uma das principais coisas que as pessoas querem fazer quando viajam, mas muitas têm medo de tentar no começo. Não importa o seu nível de habilidade com o esporte, essas experiências proporcionam uma vivência única e acolhedora do que você conseguiria de outra forma, e uma chance para as comunidades locais de surfe ganharem uma renda extra fazendo o que amam”, declarou Brian Chesky, CEO e líder da comunidade do Airbnb.

“O Airbnb e o surfe são duas coisas que naturalmente andam de mãos dadas e é por isso que estamos tão orgulhosos da parceria com a WSL nessas novas experiências. De fato, com o crescimento significativo que vimos em destinos de surfe em todo o Brasil, é possível afirmar que esse esporte está entre os motivos mais populares para viajar no país, o que destaca a tendência das viagens baseadas em paixão que estamos vendo na nossa comunidade. Seja você um surfista viajando em busca da próxima grande onda ou de um anfitrião que mora em uma cidade de surfe e quer ganhar uma renda extra, o Airbnb tem um papel fundamental no planejamento da viagem”, afirmou Leo Tristão, diretor geral do Airbnb no Brasil.

Além do crescimento de chegada de hóspedes nos destinos de surfe (foram mais de 170 mil chegadas no ano passado), ainda existem outros impactos positivos do turismo responsável proporcionado pelo Airbnb nas comunidades locais.

Foto: Reprodução / Site (airbnb.com.br)

Ao mesmo tempo em que torna mais fácil e acessível para os apaixonados pelo esporte seguirem o circuito competitivo e praticarem surfe, a plataforma apoia o desenvolvimento do comércio local ao gerar uma renda extra para os anfitriões por conta do consumo realizado pelos viajantes.

A renda extra de um anfitrião típico da plataforma no município de Saquarema (RJ), que abriga a Oi Rio Pro, etapa que faz parte do circuito da WSL, foi, em 2017, de cerca de R$ 2.900.

“Acho fundamental e oportuna a parceria do Airbnb com a WSL porque Saquarema é uma cidade muito bonita, com infraestrutura para receber atletas de qualquer categoria e de várias modalidades esportivas, e nós queremos que este seja também o perfil do viajante que busca a cidade. Além disso, a renda extra que obtenho com a plataforma ajuda e muito a manter nosso negócio e a pagar as despesas, além de ver que o comércio do entorno também ganha com isso. Os hóspedes pedem indicação de onde comer, onde fazer compras, passeios e isso movimenta o bairro", explicou Leandro Gerhardt, anfitrião do Airbnb há sete anos, surfista e dono de um hostel em Saquarema.

“O surfe, como esporte e cultura, é sinônimo de abrir novos caminhos e atravessar águas inexploradas, por isso é natural estar em parceria com o Airbnb neste novo e incrível compromisso. Conhecer experiências no surfe e no espaço ao ar livre é algo que a WSL e o Airbnb estão muito empolgadas em seguir em frente. O potencial para espalhar o surfe em todo o mundo e proporcionar às pessoas experiências que durarão a vida inteira é enorme. Com o Airbnb, estamos confiantes de que podemos levar o surfe a um novo nível”, completou Sophie Goldschmidt, CEO da WSL.