Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Liverpool vence Premier League, ao menos nas receitas

Divisão entre os 20 clubes do torneio mostra igualdade muito maior que no Brasil

Erich Beting e Wagner Giannella - São Paulo (SP) Publicado em 27/05/2019, às 10h38

Imagem Liverpool vence Premier League, ao menos nas receitas

A Premier League divulgou, no final da semana passada, a lista de receitas alcançadas pelos 20 clubes que disputaram a temporada 2018/2019 do torneio. Nos números, dois fatos chamam atenção. O primeiro é que o vice-campeão Liverpool fica à frente do campeão Manchester City quando o assunto é faturamento. E o segundo é a diferença "pequena" entre o "mais rico", o Liverpool, e o "menos rico", o lanterna Huddersfield.

Na Inglaterra, há uma tentativa de deixar o campeonato o mais equilibrado possível, especialmente pelo lado financeiro. Metade do faturamento com a receita de TV para o mercado doméstico (50%) é partilhada em partes iguais, o que em 2018/2019 chegou a pouco mais de £ 34,3 milhões para cada clube (coluna "Equal Share" na tabela abaixo).

Foto: Divulgação / Premier League

Outros 25% são distribuídos de acordo com o número de jogos transmitidos por cada clube na televisão e a audiência obtida dentro dessas transmissões. Ou seja, por lá, o clube que mais passa na televisão ganha o direito de receber uma quantia maior. O Liverpool, com 29 jogos, ficou três à frente do Manchester City, por exemplo (coluna "UK Live" da tabela) e, por isso, recebeu mais (coluna "Facility Fees" da tabela).

Os últimos 25% são divididos de acordo com o desempenho esportivo, ou seja, classificação final no campeonato. A coluna "Merit Payment" na tabela mostra exatamente isso: a ordem final da tabela de classificação é respeitada, com o campeão ganhando mais, o segundo na sequência e assim por diante, com o lanterna ganhando menos.

No geral, o Liverpool alcançou quase £ 152,5 milhões em receitas, contra quase £ 151 milhões do City. Em relação ao Huddersfield, o que menos faturou, a diferença é um pouco maior que £ 54 milhões, com o lanterna do campeonato tendo recebido pouco mais de £ 96,6 milhões.

Foto: Reprodução / Twitter (@LFC)

Além de um valor exorbitante para quem foi rebaixado e ficou em último no campeonato, a quantia ganha pelo Huddersfield fica bem longe de ser a metade do que ganhou o Liverpool. Em uma comparação rápida com o Brasil, a diferença entre o que mais ganha e o que menos ganha costuma ser de cerca de 20 vezes por aqui.

Para se ter uma ideia, a quantia ganha pelo Huddersfield é praticamente equivalente ao que o Atlético de Madrid recebeu na Espanha, sendo que o clube espanhol foi vice-campeão da LaLiga na temporada.

O que explica também o alto faturamento do Huddersfield é o fato de que a Premier League tenta ser a mais igualitária na divisão de receitas "extras". Os direitos de venda internacional do torneio inglês são divididos igualmente entre os 20 clubes participantes. Da mesma forma, a receita comercial tem a mesma divisão. Isso faz com que os clubes ingleses, como um todo, ganhem mais receita, aumentando a competitividade deles internacionalmente.

Não por acaso, as duas competições entre clubes da Europa serão decididas por times britânicos. Nesta quarta-feira (29), o Arsenal e o Chelsea decidem o título da Europa League. Já no sábado (1º), Liverpool e Tottenham disputam a cobiçada taça da Champions League.

LEIA MAIS: Com finais na Europa, Premier League reforça domínio financeiro

A partir da próxima temporada, os ganhos dos clubes ingleses ficarão ainda maiores. A Premier League afirmou que conseguiu aumentar em £ 1 bilhão os valores recebidos pelos direitos internacionais para o próximo triênio. Isso deve significar, por temporada, cerca de £ 17 milhões de libras a mais para cada um dos 20 clubes da divisão de elite do futebol da Inglaterra.

LEIA MAIS: Premier League alcança US$ 10,4 bilhões em direitos de mídia