Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Lorenzetti foca patrocínios esportivos em corridas de rua para 2015

Empresa também apóia eventos de maratona aquática e surfe, além de times de futsal e vôlei

Adalberto Leister Filho - São Paulo (SP) Publicado em 22/12/2014, às 08h45 - Atualizado às 10h45

Imagem Lorenzetti foca patrocínios esportivos em corridas de rua para 2015

A Lorenzetti, que neste ano patrocinou diversas modalidades esportivas, projeta mais investimentos em corridas de rua em 2015. A empresa desembolsou R$ 1,5milhão em apoios financeiros que foram desde clubes para a disputa das ligas nacionais de vôlei e futsal, até eventos com a participação de amadores em corridas de rua e provas de maratona aquática.

“Patrocinamos uma corrida e caminhada para viver bem, no Jardim Botânico [em São Paulo]. Provavelmente a gente vai fazer algo parecido. Estamos avaliando as alternativas. A gente tem a ideia também de fazer uma corrida só nossa. A tendência é o patrocínio a uma corrida noturna no primeiro semestre”, conta Alexandre Tambasco, gerente de marketing da Lorenzetti.

Corrida da Lorenzetti no Jardim Botânico de São Paulo

Em 2014, a Lorenzetti apoiou três corridas de rua. Para o ano que vem, a tendência é esse número ser mantido, com foco nas corridas noturnas que atingem, na avaliação da empresa, um público adulto jovem e com poder aquisitivo, que interessa à marca.

Outro patrocínio que trouxe bons resultados à marca foi para as equipes de vôlei e futsal de São Bernardo, apesar de ambas não terem ganhado títulos em 2014. “A visibilidade foi muito boa, com transmissão do Sportv. Gostamos muito do resultado.”

Outras modalidades que a empresa pretende investir são natação, maratona aquática e surfe por causa da associação da água e da vida saudável à marca de chuveiros. Um dos projetos que atingiu bom público foi o “Surf e Praia Para Todos”, que promoveu aulas da modalidade e, de maneira itinerante, percorreu as principais praias de São Paulo durante dois meses.

“Vi pessoas de 50 anos que subiram na prancha pela primeira vez. Essas experiências diferentes, pegando as pessoas em seu momento de lazer, na praia, criam um vínculo importante entre a marca e os participantes”, destaca Tambasco.