Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Mesmo após fiasco de Massa, F-1 mantém o mesmo prestígio

Schumacher: o vilão do dia

Duda Lopes em São Paulo - SP Publicado em 03/08/2010, às 09h05 - Atualizado às 12h05

Imagem Mesmo após fiasco de Massa, F-1 mantém o mesmo prestígio
Schumacher: o vilão do dia - Crédito Redação

Schumacher: o vilão do dia - Crédito Redação

No Grande Prêmio da Alemanha, no fim de semana do dia 25 de julho, Felipe Massa liderava a prova, mas uma ordem da Ferrari o obrigou a ceder sua posição ao companheiro Fernando Alonso. Na corrida seguinte, na Hungria, durante o último fim de semana, poderia se supor que a Globo teria um problema: menor audiência após mais um episódio pouco esportivo na principal competição do automobilismo mundial. Não foi bem assim.

A Rede Globo conseguiu 13 pontos de média na última corrida realizada. Não se pode dizer que Massa recuperou seu prestígio nas pistas: manteve-se em quarto, novamente atrás de Alonso. Mas entre o público, talvez. A pontuação no Ibope está longe de um desastre; a Audiência da Fórmula 1 durantes as manhãs de domingo tem permanecido entre 12 e 15 pontos.  

O torcedor brasileiro já viu três pilotos nacionais serem campeões do mundo da Fórmula 1, Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet e Ayrton Senna. No entanto, desde a morte de Senna que ele sente a carência de um campeão. Se Rubens Barrichello ficou marcado como piloto número 2 da Ferrari, Felipe Massa viria para substituí-lo e ser o esperado vencedor. Por isso, sua manobra, idêntica a uma realizada pelo seu conterr"neo em 2002, poderia ser entendida como um motivo de afastamento do público à competição, descrente de seus valores esportivos.

O grande destaque da corrida foi protagonizado por Rubens Barrichello. A quatro voltas para o fim da prova, o brasileiro forçou uma arriscada ultrapassagem pelo alemão Michael Schumacher, que por pouco não jogou o piloto contra o muro.

O recorde de audiência em 2010 permanece com o GP de Bahrein, que abriu a temporada de Fórmula 1. Excetuando-se as corridas que ocorreram durante a madrugada brasileira, caso de Melbourne, Kuala Lumpur e Xangai, o pior desempenho em audiência ficou com o GP de Silvestone, com 12 pontos de média. A corrida, no entanto, teve um fator de desvantagem: ela aconteceu durante a primeira fase da Copa do Mundo de 2012, quando disputava espaço com três jogos diários do Mundial.

Cada ponto no Ibope é equivalente a 58.300 domicílios sintonizados. Os dados da medição consideram apenas a audiência de São Paulo, região de referência para o mercado publicitário.