Minas negocia com Philips por modernização de arena

Clube mineiro pretende instalar novo sistema de iluminação em arena

Clube mineiro pretende instalar novo sistema de iluminação em arena

O Minas Tênis Clube pode se tornar o primeiro clube brasileiro a ter um ginásio capaz de proporcionar espetáculos visuais, com sistema de luzes suficiente, pelo menos, para que a iluminação seja acendida e apagada sem grandes transtornos. Para tanto, dirigentes mineiros terão de ser bem sucedidos na negociação que está em andamento com a Philips, potencial parceira nesse projeto.

Até o momento, executivos da companhia holandesa estão estudando a viabilidade técnica para instalar um sistema de iluminação novo, e engenheiros já foram enviados a Minas Gerais para tal. Depois dessa fase, haverá reuniões para definir qual seria o custo da obra para o clube mineiro e como a empresa poderia auxiliá-lo, mas essa é uma parte das tratativas que ainda nem sequer foi mencionada.

Além da iluminação interna, existe a possibilidade de modernizar também o entorno da arena do clube, cujos naming rights são ocupados pela patrocinadora Vivo. Telões de LED poderiam ser implementados para tornar o local mais atrativo. "Hoje, ninguém faz isso no Brasil, mas não quer dizer que seja impossível", conjetura Marcelo Vido, gerente de negócios e marketing do Minas Tênis Clube.

O dirigente esteve nos Estados Unidos no fim do último mês, para acompanhar o All-Star Game, o Jogo das Estrelas da NBA, liga profissional de basquete norte-americana. De lá, voltou com ideias para trazer ao Brasil, inclusive em termos de iluminação. "Eles sabem fazer espetáculo, show, entretenimento, e nós temos muito a aprender, mesmo que seja de pouquinho em pouquinho", completa Vido.

Caso a Arena Vivo ganhe um novo sistema de iluminação, passaria a ser forte candidata a receber uma edição do Jogo das Estrelas do Novo Basquete Brasil (NBB), a versão brasileira do evento estrangeiro. No início deste mês, a quarta versão foi realizada em Franca, e as luzes do ginásio francano foram um dos poucos pontos fracos. A liga ainda não tem ginásios no país que supram essa deficiência.

Leia mais:

Ginásios impedem sistema de luzes no Jogo das Estrelas