Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Murray pode ser exceção no plano do RBS

Murray pode ser exceção no plano do RBS

Redação em São Paulo - SP Publicado em 26/02/2009, às 19h00

O Banco Real da Escócia (RBS, em inglês) confirmou, nesta quinta-feira, o fim do seu contrato de patrocínio à equipe Williams, mas ainda não sabe dizer o que fará com seus patrocínios individuais. Parceira do tenista brit"nico Andy Murray há quase dez anos, a instituição financeira estuda uma forma de manter o acordo em tempos de forte crise financeira. A expectativa de continuidade se deve à relação próxima do tenista com a empresa. Segundo o site ?Tênis Brasil?, Murray estaria disposto a reduzir os valores do contrato por ser grato ao RBS, que investe em sua formação desde os 13 anos. A diferença de valores também deve ajudar bastante. Apesar de não serem abertos ao público, os acordos são bem distintos. Estima-se que o patrocínio à Williams custava 10 milhões de libras (R$ 34 mi), enquanto o apoio a Murray não passaria de 1 milhão de libras (R$ 3,3 mi). Além de estudar a possibilidade com Murray, o RBS já decidiu manter o investimento no Six Nations, principal torneio de seleções de rúgbi do mundo, com exceção do Mundial. O valor do aporte é de 5 milhões de libras (R$ 16,8 mi) por ano até 2012.