Nas bilheterias, Ceará lucra R$ 4,1 mi e bate adversários

Clube nordestino teve o terceiro melhor desempenho do torneio

Clube nordestino teve o terceiro melhor desempenho do torneio

Os adeptos da teoria de que clubes nordestinos são capazes de encher estádios por causa do baixo preço dos ingressos, no Campeonato Brasileiro deste ano, não encontraram provas sólidas para justificar a afirmação. O Ceará, dono do segundo maior público, foi o terceiro time que mais lucrou durante o torneio nacional.

O clube nordestino lucrou R$ 4,1 milhões em bilheterias, abaixo apenas de Grêmio (R$ 4,3 milhões) e Corinthians (R$ 11 milhões), ainda que ambos tenham atingido desempenho superior dentro de campo. "Fizemos várias campanhas para gerar renda com estádio", justifica o coordenador comercial do Ceará, Maurício Dias.

"A paixão natural do público local nos ajudou muito, mas a verdade é que enquadramos o público no problema da falta de presença na arena", completa o dirigente, em entrevista à Máquina do Esporte. A hipótese de elitização do torcedor no estádio, porém, também é refutada. A entrada, segundo Dias, esteve na faixa dos R$ 30.

A performance cearense surpreende até rivais tradicionais, reconhecidos nacionalmente pelas boas práticas no campo administrativo, como São Paulo e Internacional, que lucraram R$ 3,7 milhões e R$ 3,3 milhões. "Aqui, estamos fazendo renda, vendendo espetáculo para um bom volume de torcedores", encerra o coordenador.