Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Nike dá bronca pública em NFL por morosidade em caso de violência doméstica

Fornecedora de liga cobra punições mais duras para casos como o de jogador que agrediu a noiva

Adalberto Leister Filho - São Paulo (SP) Publicado em 05/11/2014, às 08h58 - Atualizado às 10h58

Imagem Nike dá bronca pública em NFL por morosidade em caso de violência doméstica

Ray Rice foi expulso da NFL após agredir a mulher

Mark Parker, diretor-executivo da Nike, principal patrocinador da NFL (liga de futebol americano) mostrou estar descontente com a forma como a entidade lidou com casos de violência doméstica.

“Deixamos claro nossa posição para a NFL que não toleramos nenhum tipo de violência doméstica”, disse o executivo em entrevista à Bloomberg. 

Em setembro, a Nike cancelou contrato de patrocínio com o running back Ray Rice, depois de ele ter sido flagrado pelas câmeras do elevador de um hotel em Atlantic City dando um soco em sua então noiva. A garota chegou a bater a cabeça no espelho e desmaiar. A NFL, que tinha conhecimento do problema, demorou para tomar uma posição. A decisão de expulsar Rice da liga só aconteceu após o vazamento do vídeo.

“Foi uma grande lição para a NFL. A direção da liga reconheceu isso e está tomando providências. Estou otimista”, afirmou Parker.

Roger Goodell, comissário da NFL, pediu aos donos das equipes que considerem usar profissionais independentes para decidir sobre a conduta disciplinar de seus atletas fora de campo, incluindo incidentes de violência doméstica. No mês passado, ele se reuniu com um grupo de 11 ex-atletas que fazem parte do grupo de política de conduta da liga.

A Nike, fornecedora oficial da NFL, tem voltado seu foco para o crescente mercado feminino de roupas esportivas. Parker, porém, se recusou a comentar se a decisão de rescindir o contrato com Rice foi influenciada pelo interesse no mercado feminino.

Outros atletas não enfrentaram o mesmo rigor da Nike. A goleira Hope Solo, que enfrenta acusação de violência doméstica contra seu sobrinho de 17 anos, mantém contrato com a empresa. “Vamos ficar atentos com essa situação e faremos nosso julgamento na hora certa”, afirmou o executivo.