Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

OAS ganha 1ª prioridade privada de 2014

OAS ganha 1ª prioridade privada de 2014

Gustavo Franceschini em São Paulo - SP Publicado em 17/12/2008, às 08h00 - Atualizado às 10h00

Desejo de todos os organizadores da Copa do Mundo de 2014, a presença da iniciativa privada na construção e na reforma de estádios deve ganhar seu primeiro estímulo concreto em Santa Catarina. Com um projeto bancado pela construtora OAS, que também participa da Arena Grêmio, o Figueirense é o primeiro clube favorito nas candidaturas à sede do Mundial com uma empresa parceira já definida. A idéia é reconstruir o Orlando Scarpelli com cerca de R$ 150 milhões, com o mesmo valor sendo investido no entorno da construção, que teria duas torres comerciais, uma praça elevada e um shopping center. O Figueirense garante ter o compromisso da capital de Santa Catarina de que o seu projeto será o único apresentado no dia 15 de janeiro. ?A cidade de Florianópolis já assinou todos os contratos. O nosso projeto já passou pela Prefeitura e pelo Conselho do clube, então não tem muito o que mudar?, disse Carlos Gonzaga Aragão, vice-presidente de patrimônio do Figueirense. A situação é inédita. Por todo o Brasil, vários planejamentos de reformas e construções de estádios incluem a entrada da iniciativa privada, mas poucos lugares já contam com um investidor definido. Todos esses estádios, no entanto, estão em desvantagem em relação aos seus concorrentes municipais. A própria OAS vive uma situação complicada em Porto Alegre. Aprovado pela Prefeitura, o plano da Arena Grêmio ainda precisa do aval do Conselho Deliberativo do clube para, depois disso, entrar na briga com o Beira-Rio, candidato principal da capital gaúcha. Palmeiras, Sport e Coritiba, todos com a WTorre como parceira, se vêem no mesmo panorama. Palestra Itália, Couto Pereira e Ilha do Retiro estão atrás de Morumbi, Arena da Baixada e dois projetos públicos, respectivamente, levam vantagem na preferência das candidaturas. O favoritismo, no entanto, aparece em uma cidade que não tem o mesmo destaque que as outras. Especialistas avaliam que Florianópolis, pela proximidade de Curitiba e Porto Alegre, tem menos chance de ser escolhida que outras candidaturas como Recife, Goi"nia e até Manaus.