OAS quer “fechar” o uniforme do Bahia

Manga do uniforme do Bahia permanece em branco

Manga do uniforme do Bahia permanece em branco

Desde o início do Campeonato Brasileiro, o Bahia abriu negociações para duas novas propriedades em seu uniforme. Além dos espaços já utilizados, o clube começou a procurar no mercado empresas que estivessem interessadas em colocar as suas marcas na manga e na barra da camisa do time. Até agora, o maior movimento foi de um parceiro atual.

A construtora OAS, que mantém o patrocínio máster no Bahia, apresentou proposta para reformular o seu contrato e incluir no acordo as mangas da camisa. Dessa maneira, a empresa ficaria com as três principais propriedades da camisa. Atualmente, além do espaço no peito, a marca está presente nos ombros da camisa.

Dessa maneira, a empresa praticamente fecharia a camisa do Bahia. Na parte superior do uniforme, a visualização seria inteira da OAS. Haveria, então, duas exceções. A primeira estaria no número dos jogadores, que conta com a marca da TIM. A segunda seria a da barra da camisa, que permanece à disposição de interessados no mercado.

O Bahia, no entanto, continua reticente diante da negociação. O clube acha que consegue um valor melhor no mercado do que a valorização proposta pela OAS, e permanece aberto a outras negociações. No momento, são outras duas empresas que conversam com a diretoria baiana, mas ainda não há avanços significativos para um acordo.

O valor baixo oferecido pelo mercado tem feito com que o Bahia recuse propostas para acordos pontuais. Com medo de desvalorizar a propriedade, o clube preferiu dizer não até as empresas que pagariam mais, como foi no caso da partida contra o Corinthians. Na ocasião, a diretoria do clube recebeu mais de uma proposta de pontual para a partida, que teve transmissão para São Paulo.