Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Octagon muda comando e define novo rumo no Brasil

Empresa festeja 2014, quando trabalhou com 6 patrocinadores oficiais da Fifa durante a Copa do Mundo do Brasil

Erich Beting - São Paulo (SP) Publicado em 19/01/2015, às 10h43 - Atualizado às 12h43

Imagem Octagon muda comando e define novo rumo no Brasil

Tenda da Budweiser, em ativação da Octagon durante a Copa-2014

A agência de marketing esportivo Octagon conseguiu, em 2014, um recorde. Pela primeira vez, a empresa trabalhou com seis patrocinadores oficiais da Fifa na Copa do Mundo. Após obter um resultado expressivo com a operação no Brasil, a Octagon mudou de comando. E traça novos planos no país.
Os sócios Alexandre Leitão e Fred Pollastri deixaram a operação da agência para cuidar da implementação do time de futebol Orlando City, que será cliente da Octagon no Brasil, sendo atendido pela agência. 
Agora, a Octagon Brasil é dirigida pelo francês Matthieu Fenaert e pelo alemão Aykan Azar. Com o novo comando, a agência estuda deixar de atuar só em consultoria para abraçar também a área de eventos.
“Estamos planejando os próximos anos. Os megaeventos ajudaram a amadurecer o mercado. As empresas estão conscientes do benefício de investir em esporte. Vamos ter um evento proprietário, mas ainda não temos tudo definido”, disse Fenaert, diretor de operações.
Segundo o executivo, apesar de haver o plano de ter um evento proprietário, o foco maior da agência seguirá dentro da área de consultoria, prestada principalmente para empresas.
“Somos a maior agência do mundo em consultoria, esse é o nosso principal negócio. Ficamos mais quietos nesse primeiro momento no Brasil. Agora, estamos com uma equipe de novos negócios buscando cliente, sendo mais agressivos dentro do próprio mercado”.
A Octagon já conquistou as contas de Skol, Estácio e Cisco, patrocinadores dos Jogos Olímpicos de 2016. Dos clientes que estiveram na Copa do Mundo, a empresa atende ainda a MasterCard e possui conversas com Oi e Liberty para manter parte das ações que começaram na Copa