Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Odontocompany e AOC se juntam à Sky, e FPF valoriza árbitro

Uniforme da arbitragem se tornou solução efetiva no mercado do futebol em SP

Duda Lopes - São Paulo (SP) Publicado em 17/12/2018, às 07h44 - Atualizado às 09h44

Imagem Odontocompany e AOC se juntam à Sky, e FPF valoriza árbitro

Os uniformes dos árbitros se tornaram uma das soluções mais efetivas para atrair o mercado publicitário ao futebol de São Paulo. Com a exposição das marcas mais evidente, a Federação Paulista de Futebol fechou com mais dois patrocinadores para a propriedade comercial.

A entidade divulgará nesta segunda-feira (17) os acordos com Odontocompany e AOC, que se juntarão à Sky nas camisas da arbitragem de todos os torneios da federação na próxima temporada, o que inclui o Campeonato Paulista de 2019 e a Copa São Paulo de Futebol Júnior, torneios com ampla cobertura da televisão.

Foto: Reprodução

A Odontocompany terá a marca exposta na parte frontal do uniforme dos árbitros. Já a AOC ficará nas costas, na parte superior. As duas companhias formarão o que seria o patrocínio máster de um clube. Ainda no uniforme da arbitragem, a Sky ficará nas mangas durante os campeonatos da FPF. A empresa assinou o acordo no fim de 2017 e, no último ano, já esteve nos gramados com a mesma propriedade.

Considerando a Kappa, que faz o fornecimento de material esportivo e também tem a marca exposta no uniforme, a Federação Paulista gerou um fato curioso: dos seis patrocinadores da entidade, quatro estão na arbitragem. Apenas Canon e Penalty mantêm parceria sem esse uso de espaço comercial.

A prática se tornou mais comum no futebol brasileiro no fim da década de 2000, mas não é uma unanimidade. Primeiro porque ela contraria uma regra da Fifa, de que a arbitragem pode ter apenas uma marca, nas mangas. Como os estaduais não são geridos pela confederação nacional, a recomendação é driblada. O segundo ponto está na possibilidade de uma mesma empresa patrocinar árbitros e times, algo que também é rechaçado pela entidade máxima do futebol.

LEIA MAIS: Análise: Acordos para arbitragem mostram atraso do mercado

Em 2015, a Fifa chegou a intervir em um patrocínio da Crefisa na arbitragem do futebol paulista; a empresa é a principal parceira do Palmeiras. No Brasileirão, no entanto, a regra já foi ignorada. A Semp fazia aporte ao Santos enquanto a TCL, que faz parte do mesmo grupo, mantinha a marca exposta na arbitragem do torneio.

Os contratos com Odontocompany e AOC foram fechados por meio da agência Wolff Sports. A companhia, que ganhou força nos últimos anos com a intermediação de aportes pontuais, tem se movimentado no mercado com acordos mais longos e ativações para os parceiros. Pelo mesmo caminho, por exemplo, o São Paulo fechou com mais de uma marca em temporadas recentes.