Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Oi patrocina projeto que leva e-Sports a favela no Rio

Empresa é principal apoiadora de centro de treinamento instalado no Vidigal

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 26/02/2019, às 10h06

Imagem Oi patrocina projeto que leva e-Sports a favela no Rio

A operadora de telefonia Oi decidiu patrocinar o primeiro projeto para levar para dentro de comunidades carentes a febre do e-Sports. A empresa vai apoiar o programa AfroGames, criado pelo grupo cultural AfroReggae.

A ideia é que a iniciativa social capacite e profissionalize jovens de comunidades para atuarem no mercado de jogos eletrônicos. Para isso, será montado um centro de treinamento em e-Sports dentro do Centro Cultural Waly Salomão, em Vigário Geral, na zona Norte do Rio de Janeiro.

O projeto irá disponibilizar cem vagas para que os jovens da comunidade possam ter aulas de League of Legends, programação de computadores, produção de trilha sonora focada em games e aulas de inglês.


José Junior (esq.) e Ricardo Chantilly se uniram para criar a AfroGames / © Divulgação

”A Oi se orgulha de apoiar projetos como o AfroGames, que leva oportunidades para jovens de comunidades carentes e usa a tecnologia como ferramenta de inclusão social e desenvolvimento. Sabemos da importância do e-Sports e do desenvolvimento de games. É mais uma possibilidade para essas crianças aprenderem de forma divertida e criativa uma nova opção de entrada para o mercado de trabalho”, afirmou em nota Bruno Carmona, gerente de eventos e patrocínios da Oi.

O projeto faz parte de uma parceria entre Ricardo Chantilly, empresário de bandas como Jota Quest e O Rappa, e José Junior, fundador do AfroReggae.

“Nosso objetivo é democratizar o e-Sports no Brasil. Pela primeira vez no mundo, crianças de áreas conflagradas terão a oportunidade de treinar num centro técnico de ponta”, disse Chantilly, que acredita no surgimento de novos talentos dentro do universo gamer.

"Vamos descobrir novos talentos dando oportunidade para crianças que não jogariam, pois não têm acesso, mas que têm um talento nato”.

Além da Oi como patrocinadora oficial, o projeto conta com o apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, da HyperX e do Grupo Globo.