Olympikus celebra retomada de venda no Flamengo

A Olympikus não pode usar a imagem de Ronaldinho Gaúcho em suas ações e não teve nenhuma participação na contratação do astro pelo Flamengo. Ainda assim, a empresa tem recolhido frutos da chegada do atacante, que tem rendido vendas semelhantes às apresentadas no melhor momento da parceria entre o clube e a empresa.

Com Ronaldinho Gaúcho, a camisa do Flamengo tem tido vendas no mesmo ritmo de 2009, quando Adriano levou o clube ao seu sexto título brasileiro. Naquele ano, foram vendidas 1,3 milhão de camisas oficiais em seis meses, um recorde no futebol brasileiro. A Olympikus havia viabilizado financeiramente a chegada do centroavante, hoje no Corinthians.

Assim como Adriano, Ronaldinho Gaúcho é patrocinado pela Nike, o que significa que a Olympikus não pode usar a imagem do jogador, apenas do clube. Mesmo assim, a empresa colhe bons frutos de uma venda de camisa alavancada principalmente pelo nome associado a ela nas costas.

Nem o Flamengo e nem a Olympikus abrem números exatos de venda de camisa neste ano. Ainda assim, contabilizando apenas a venda de camisa com o número 10 e a inscrição do nome de Ronaldinho Gaúcho, foram vendidos 65 mil modelos apenas no último mês de março. Somam-se nessa conta as camisas sem número, as de goleiros ou as com numeração aleatória.

Dessa maneira, a fornecedora de material pode respirar mais aliviada. Após o alto sucesso de Adriano e cia. em 2009, o time foi eliminado nas quartas de final da Libertadores e lutou para não ser rebaixado no Campeonato Brasileiro de 2010. Astros como o atacante e seu companheiro Vagner Love foram embora na metade daquele ano. Como consequência, as vendas de camisas caíram de maneira drástica e fecharam a temporada com número aquém do esperado.