Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Palmeiras confirma candidatura de Belluzzo

Palmeiras confirma candidatura de Belluzzo

Redação em São Paulo - SP Publicado em 06/01/2009, às 12h00

O economista Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo irá concorrer à presidência do Palmeiras no dia 26 de janeiro. Sua candidatura foi confirmada nesta terça-feira pelo presidente do clube, Afonso Della Monica, que pretendia prorrogar seu mandato até o mês de novembro, proposta que foi derrotada em pleito realizado no fim do ano passado. Belluzo, que ocupa atualmente o cargo de diretor de planejamento do Palmeiras, enfrentará o oposicionista Roberto Frizzo, aliado do ex-presidente Mustafá Contursi. O novo comandante ficará à frente do clube nos próximos dois anos. ?Entre tantos que poderiam exercer a presidência na próxima gestão, pensamos em quem aglutinasse todas as forças progressistas do clube. Foi da sua área a participação efetiva para trazer parceiros como a Fiat, Suvinil, Visa, Traffic e WTorre. Não podemos esquecer que foi Belluzzo quem teve importante intervenção para formalizar a co-gestão Palmeiras/Parmalat, vitoriosa e mundialmente reconhecida", afirmou Della Monica em comunicado. A chapa da situação conta ainda com os nomes de Gilberto Cipullo, Ebem Gualtieri, Clemente Pereira e Salvador Hugo Palaia, que chegou a manifestar interesse em participar da eleição, como vices. A inscrição dos grupos será encerrada no dia 16. Aos 66 anos, Belluzo foi assessor econômico do PMDB entre 1974 e 1992, e secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda no período de 1985 a 1987, durante o governo de José Sarney. De 1988 a 1990 foi secretário de Ciência e Tecnologia do estado de São Paulo, durante a gestão de Orestes Quércia. O economista, entre outras atividades, é membro do Conselho de Administração da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), além de consultor editorial da revista semanal Carta Capital e consultor pessoal do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.