Palmeiras quer vender camarotes ainda em 2010

Cadeiras do setor numerado começam a ser retiradas

Cadeiras do setor numerado começam a ser retiradas

A construção da Arena Palestra Itália já virou novela. Já foram mais de dois anos desde que o conselho deliberativo do clube aprovou a reforma, que envolve a demolição da maior parte da estrutura do atual estádio. Há apenas um mês, no entanto, que a WTorre, construtora responsável pelas obras, conseguiu o alvará da prefeitura para o serviço. E só agora o Palmeiras começa de fato a comercialização do futuro estádio.

Até o fim de 2010, a esperança da Traffic Arenas, que vende os direitos comerciais da arena, é iniciar as negociações do local, mesmo com as obras ainda no início. Segundo Mauro Holzman, diretor da agência, a ideia é apressar o processo. “Possivelmente começaremos as vendas dos camarotes até o fim do ano”, afirmou Holzman.

A Traffic já começou a trabalhar na venda para outras propriedades comerciais da arena. As propostas foram enviadas a cerca de cem empresas que mantêm contatos diretos com a agência. No entanto, ainda não houve nenhum retorno, algo normal até pelo andamento pouco acelerado das reformas.

Uma das propriedades que será vendida, o naming right, já tem preço estabelecido, mas nenhum interessado formal. A Traffic estipula em R$ 10 milhões o preço do nome da arena, mas garante que não houve nenhuma negociação por enquanto.

As obras não entraram no seu devido ritmo porque a oposição do clube pressiona a diretoria para que o seguro da obra seja fechado antes do processo de demolição do antigo estádio. A promessa era que o acordo fosse apresentado até o fim desta semana, o que não aconteceu até então. A WTorre, que já demoliu algumas construções no clube, quer retirar as antigas arquibancadas ainda neste mês.

Arena do Grêmio

Outro estádio comercializado pela Traffic é a futura arena do Grêmio. Essa, no entanto, está com as negociações menos avançadas. Os camarotes, por exemplo, só devem começar a ser vendidos na segunda metade de 2011. “A situação do Grêmio está mais indefinida”, afirmou Holzman. Nem mesmo o preço do naming right está estabelecido. Sabe-se apenas que deve ser inferior ao do Palmeiras, devido ao mercado em que está inserido.