Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Panini quer Brasileirão forte por liderança mundial

Álbum novo. Febre nova?

Duda Lopes em São Paulo - SP Publicado em 06/08/2010, às 08h03 - Atualizado às 11h03

Imagem Panini quer Brasileirão forte por liderança mundial
Álbum novo. Febre nova? - Crédito Redação

Álbum novo. Febre nova? - Crédito Redação

A Panini do Brasil terá o maior faturamento entre todas as filiais em 2010. Esse número é sustentado pelo sucesso do álbum da Copa do Mundo da África do Sul que, comparado à edição de 2006, teve um aumento de 30% em suas vendas. Para 2011, no entanto, a expectativa não é tão otimista, já que o álbum do Campeonato Brasileiro não tem o mesmo sucesso.

O problema da Panini brasileira é que o europeu tem maior interesse no álbum dos campeonatos nacionais. No Brasil, o consumidor ainda não tem esse hábito, com exceção da Copa do Mundo. Nos anos anteriores, a empresa nem lançou edições do Brasileirão, já que não conseguiu a licença de alguns clubes. Em 2010, após um acordo com a Editora Abril, foi lançado nesta semana a versão do Nacional deste ano com todos os clubes da série A e B.

A Panini aposta que, com os direitos de todos os times e com campeonato organizado, com sequência na sua fórmula, o interesse do torcedor e do colecionador seja crescente. Nos últimos anos, a empresa teve que se adequar às mudanças realizadas no calendário do futebol para organizar as suas vendas.

O corte mais evidente dessas mudanças foi a da versão estadual dos álbuns. Com a redução do tempo de disputa, a produção de edições como a do Campeonato Paulista foi completamente descartada. Para o presidente da Panini, José Eduardo Severo Martins, a produção da revista para um torneio de cerca de três meses não é vantajosa. “O regional está curto. É pouco tempo para produção e venda; nós não conseguimos cobrir os custos”, afirma Martins.

A missão de ser a filial mais lucrativa em ano sem Copa do Mundo não é tão delicada quanto parece. Em 2009, os resultados da empresa a colocaram em segundo lugar no ranking mundial, atrás apenas da Alemanha, a ‘vice’ em 2010. Já para o álbum do Campeonato Brasileiro de 2010, a expectativa é que sejam vendidos 50 milhões de pacotes, distribuindo 250 milhões de figurinhas que completarão 500 mil álbuns.