Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Para ter Naomi Osaka, Nike muda regra de aporte em uniforme

Tenista poderá utilizar marcas de outros patrocinadores durante partidas

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 09/04/2019, às 15h04

Imagem Para ter Naomi Osaka, Nike muda regra de aporte em uniforme

Na semana passada, a japonesa Naomi Osaka, atual número 1 do mundo no tênis feminino, anunciou que estava deixando a Adidas para fechar com a arquirrival Nike. O anúncio foi recebido com surpresa por muitas pessoas envolvidas com marketing esportivo, em especial por conta da história da jogadora com a marca alemã. Nesta terça-feira (9), outra notícia também chamou atenção do mercado.

Foto: Reprodução / Twitter (@Naomi_Osaka_)

De acordo com a imprensa americana, a Nike abrirá uma exceção para Naomi Osaka e deixará que a tenista utilize as marcas de outros de seus patrocinadores em seu uniforme de jogo. Segundo o New York Times, a fabricante americana não costuma deixar seus atletas usarem a estratégia. Ainda vestindo Adidas, a japonesa tinha os logotipos de dois de seus patrocinadores (Nissin Foods e All Nippon Airways) na blusa durante toda a partida.

Para a publicação, a decisão da Nike pode ser explicada pelo fato de Osaka ser uma cidadã dos Estados Unidos. A jogadora é nascida no Japão, mas possui nacionalidade americana e, por isso, é vista pela marca como um enorme ativo de marketing no mercado americano e, principalmente, no mercado asiático.

Dessa forma, a Nike concordou em seguir as regras contratuais impostas pela tenista e acabou passando por cima da própria metodologia. Até hoje a regra havia sido quebrada apenas uma vez, com a chinesa Na Li, que chegou a ser número 2 do mundo em 2014, ano em que também acabou se aposentando.

Com o contrato com a Nike e a série de outros patrocínios que conseguiu após aparecer para o mundo com o título do US Open no ano passado, Naomi Osaka está atrás apenas das também tenistas Serena Williams e Maria Sharapova na lista de atletas mais bem pagas do mundo. O objetivo da IMG, empresa que gere a carreira da japonesa, é fazer com que ela alcance o topo desse ranking financeiro até os Jogos Olímpicos de Tóquio, que serão disputados no ano que vem.