Paulista de Stock Car quer independência em 2012

Ômega utilizado na Stock Car, reaproveitado na Stock Paulista

Ômega utilizado na Stock Car, reaproveitado na Stock Paulista

Nesta tarde de quinta-feira, a organização do recém-criado Campeonato Paulista de Stock Car apresentou para a imprensa a nova modalidade de automobilismo, que utilizará carros antigos da Stock Car para fazer um torneio regional, com corridas em Interlagos. Estabelecido o calendário e o modo de competição, agora a organização quer novas empresas para tornar a modalidade sustentável já em 2012.

No momento, as corridas são bancadas pelos próprios pilotos, seja em investimentos diretos na equipe, seja em suportes para a competição. Dessa forma, o Campeonato Paulista já tem a Ebone Climatizadores e a Ertec como patrocinadores. Ambas as empresas pertencem a pilotos que estão na competição.

A primeira etapa do Campeonato Paulista de Stock Car aconteceu no último dia 7, numa corrida considerada de teste. Para cada evento, os pilotos deverão gastar nesse início entre R$ 12 mil e R$ 15 mil, o que representa 80% dos recursos necessários. O restante é proveniente da própria organização. Com novos patrocinadores, a intenção é deixar esse custo entre R$ 3 mil e R$ 4 mil até o fim do ano. Para 2012, a ideia é que não haja custos.

Um dos organizadores das provas, Edemar Eboni, explica os atrativos financeiros da categoria criada. “Ela é barata porque usa carros usados há dois anos na Stock Car. Outras categorias com carros muito mais simples e menos rápidos ficam no mesmo valor. Além disso, desse jeito ela se transforma numa categoria de acesso à Stock Car”, afirmou Eboni, ressaltando que a categoria pode funcionar como um treino para a atração principal.

Eboni, como um dos organizadores, quer unir patrocínios prioritariamente para a própria organização da categoria, como está em vigor com as duas empresas que já investem nela. O grupo funcionará como uma liga, que juntará recursos para todas as equipes e todos os participantes. Não se exclui, por outro lado, patrocínios individuais. “Se alguém quiser trazer R$ 1 milhão para si mesmo, não temos como impedir”, afirmou Edemar Eboni.

Um dos próximos passos para obter patrocínios está no fechamento de uma rede de televisão que possa transmitir a corrida. Os direitos de transmissão estão em negociação, mas o processo não é imediato porque a organização tem levado em consideração qual é a emissora mais atrativa para patrocinadores. “Na televisão, às vezes 10 mil vale mais do que 100 mil. Só não aceitamos fechar de graça, como foi propostos por alguns veículos”, afirmou Edemar Eboni.

O Campeonato Paulista de Stock Car terá mais nove etapas, todas elas no autódromo de Interlagos. Apesar de algumas propostas para levar a competição para o interior, os pedidos foram indeferidos pela falta de capacidade de outros complexos de automobilismo receberem o evento.