Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Penalty muda plano por maior nacionalização

Marca do Grupo Cambuci fechou com Séries B e C do Campeonato Brasileiro

Duda Lopes - São Paulo (SP) Publicado em 20/01/2020, às 08h00 - Atualizado às 11h00

Imagem Penalty muda plano por maior nacionalização

Série B terá bola da Penalty em 2020 (Foto: Anderson Stevens / Sport Club do Recife)

A Penalty mudou a estratégia de patrocínio no esporte para ter maior participação no mercado nacional e impulsionar o plano de crescimento em dois dígitos em 2020. A companhia brasileira deixará federações locais para reunir esforços na Série B e na Série C do Campeonato Brasileiro.

"Os Estaduais têm apenas três meses de duração e, claro, nós temos um limite de orçamento. Com as Séries B e C, nós temos mais tempo de exposição, mais mídia, mais público para mostrar nossas tecnologias", comentou o gerente executivo de marketing da Penalty, Paulo Gaspar, em conversa com a Máquina do Esporte.

O trabalho foi feito em parceria com a Kantar e com o Ibope Repucom, que avaliou os retornos dos investimentos que a Penalty fazia no esporte em relação aos objetivos da marca em curto e em longo prazo. Apesar de manter contratos como o da Federação Paulista, com visibilidade no Paulistão e na Copa São Paulo de Futebol Júnior, a prioridade passou a ser os torneios nacionais.

A Penalty espera crescer neste ano graças a uma maior distribuição nacional que a marca conseguirá realizar neste ano. Para que o futebol potencialize a capacidade da empresa, estão previstas uma série de ativações com o futebol, como incentivo para as equipes de vendas dos clientes, mídia cooperada regionalmente e ativações de experiência com consumidores. Além disso, a companhia pretende atuar diretamente em 5 mil pontos de venda ao longo do ano.

Apesar do patrocínio nacional, o plano da Penalty é trabalhar de modo específico com as peculiaridades de cada mercado, sem necessariamente precisar de outros patrocínios para isso. A empresa não tem, por exemplo, planos para fechar com alguma equipe, ainda que essa possibilidade não esteja fechada.

Com o aporte aos dois torneios nacionais, a Penalty também celebra uma exposição de marca e de novos produtos mais acentuada. "Os torneios nos dão mais mídia espontânea, com transmissões e cobertura do SporTV. Conseguiremos manter essa conversa durante todo o ano", complementou Gaspar.

O Grupo Cambuci, dono da Penalty, não abriu ainda os números de 2019, mas a empresa convive com um processo de recuperação. Em 2018, a companhia teve queda no lucro, mas significativo aumento no patrimônio líquido. Nesta segunda metade da década, a Penalty cortou parte dos investimentos no esporte ao abrir mão de clubes de futebol. Agora, tenta se reposicionar no mercado.