Por 2016, São Caetano cria projeto para achar talentos

Mauro Chekin, assessor de esportes olímpicos, é responsável pelo plano

Mauro Chekin, assessor de esportes olímpicos, é responsável pelo plano

A proximidade dos Jogos Olímpicos de 2016 está fazendo com que políticos se movimentem para ganhar visibilidade. Em São Caetano, no interior de São Paulo, a prefeitura lançou projeto para encontrar jovens promissores nas escolas municipais e estaduais. O plano, ainda bastante incerto, é emplacar esses talentos nas Olimpíadas.

O projeto, cuja primeira etapa já está em execução, tem início com a aplicação de testes físicos e de habilidades nas escolas. A Universidade de São Paulo (USP) acertou parceria com o órgão municipal e é a responsável por executar essas provas em crianças e adolescentes da cidade paulista, com idades entre 10 e 16 anos.

"A partir de setembro, esses jovens serão estudados para ver em quais modalidades do esporte podem se encaixar", conta Mauro Chekin, assessor de esportes olímpicos da prefeitura. O político ocupava a secretaria de Esportes e Turismo, hoje comandada pelo vereador Gilberto Costa, mas foi designado ao novo cargo para tocar o projeto.

Uma vez encontrados adolescentes talentosos, contudo, ainda não há certezas sobre como esses futuros atletas serão apoiados. Há planos de oferecer infraestrutura para treinamento, bem como eventual suporte financeiro. "Como ainda estamos na primeira fase, temos primeiro de achá-los para depois definir isso", afirma Chekin.

Recentemente, em março deste ano, a prefeitura de São Caetano se queixou da falta de recursos do governo federal para desenvolver projetos ligados aos Jogos Olímpicos de 2016. Argumenta-se que, enquanto o vizinho São Bernardo recebeu R$ 43 milhões até agora, São Caetano e Santo André seguem abandonados.