Por futura renda, Grêmio projeta ampliar arena

Alterações irão encarecer obra, mas clube crê em vantagens posteriores

Alterações irão encarecer obra, mas clube crê em vantagens posteriores

Embora seja um dos estádios em estágio mais avançado de construção no país, mesmo sem previsão de uso durante a Copa do Mundo de 2014, a Arena do Grêmio deve sofrer alterações ainda antes do fim das obras. O clube gaúcho e a OAS, construtora parceira na empreitada, pretendem ampliar o projeto para turbinar a renda.

A proposta é incluir mais oito mil lugares na capacidade de público, de modo que o estabelecimento possa receber até 60 mil pessoas confortavelmente. Há também interesse em obter certificado Leed, cuja função é comprovar que o local segue determinadas exigências ambientais. Ambas as mudanças irão encarecer a construção.

"Nós já temos quase 30% das obras concluídas, e a fundação da arena já está em boa parte feita, então estamos fazendo estudos técnicos e financeiros para descobrir se é possível aumentar o estádio e se é financeiramente sustentável", afirma Eduardo Antonini, vice-presidente do Grêmio e responsável pela nova arena.

O intuito da ampliação é possibilitar a Grêmio e OAS conseguir melhor arrecadação após a inauguração. O dirigente cita que grande parte da nova capacidade do estádio deve estar situada entre cadeiras VIP, ou seja, aquelas que possuem maior valor de comercialização. O Leed, diz ele, também ampliaria as receitas.

"As pessoas têm de entender que não há dinheiro público na nova arena, então Grêmio e OAS só vão fazer alguma alteração, obviamente em comum acordo, caso essa mudança seja lucrativa em longo prazo", garante Antonini, que preside a Grêmio Empreendimentos, braço criado pelo clube para gerir o negócio.

O desejo de alterar o projeto partiu do presidente gremista, Paulo Odone. Os dirigentes da equipe gaúcha veem crescimento no mercado do futebol, na média de comparecimento do público nos estádios e no quadro social da agremiação, três pilares que justificam reformular o projeto, concebido pela primeira vez em 2008.

Leia mais:

Grêmio irá começar a "vender" arena em setembro