Por renda, Santa Cruz almeja recorde em decisão

No próximo domingo, o torcedor do Santa Cruz poderá comemorar a classificação para a Série C, após amargar três anos seguidos na Série D. Para isso, basta a equipe vencer o Treze, no estádio do Arruda. A diretoria da equipe espera bater o recorde de público de todas as divisões do Campeonato Brasileiro, o que aliviaria as contas do time.

A meta é chegar aos 65 mil torcedores no estádio. O recorde atual pertence ao São Paulo, na Série A. Na partida contra o Flamengo, o clube registrou quase 64 mil pessoas no Morumbi. Em Recife, a missão parece encaminhada. Até a última quinta-feira, 45 mil ingressos já haviam sido vendidos.

A meta é importante para o Santa Cruz não só pelo aspecto esportivo ou simbólico. Hoje, o clube tem uma folha salarial de R$ 400 mil; um time da Série D tem essa conta orçada em R$ 50 mil, em média. Além desse valor, caso o clube se classifique para a Série C, haverá uma premiação extra dada aos atletas.

Portanto, a maximização de torcedores no estádio tem um peso fundamental para o Santa Cruz. O clube espera ter um lucro bruto de R$ 600 mil para a partida, o que renderia uma receita superior a R$ 300 mil.

Ainda que tenha o estádio lotado, alguns fatores influem na diminuição do lucro do Santa Cruz. Dos prováveis 65 mil torcedores que estarão presentes, um terço deve entrar por meio do programa “Todos com a Nota”, em que documentos fiscais podem ser trocados por ingressos. Além disso, há ainda a presença dos não pagantes, o que faz com que quase metade da arena não tenha pagado pela entrada.

Para atrair mais torcedores e aumentar a arrecadação, a diretoria do Santa Cruz fará duas feijoadas. A primeira será fechada para os sócios, com previsão de três mil pessoas. Já a segunda, no domingo antes da partida, deve receber cinco mil pessoas.

Leia mais:

Santa Cruz prevê ganhos com possível subida