Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Presidente do Cruzeiro indica saída da Caixa

Wagner Pires afirmou que clube já tem novo patrocinador máster acertado

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 27/12/2018, às 08h06 - Atualizado às 10h06

Imagem Presidente do Cruzeiro indica saída da Caixa

O presidente do Cruzeiro, Wagner Pires, declarou que a Caixa não deverá ficar no clube mineiro. O mandatário afirmou que o clube já tem um novo parceiro para a principal área de exposição no uniforme, mas que este futuro patrocínio máster cruzeirense deverá ser apresentado apenas no início de 2019.

"Nós estamos substituindo porque a Caixa já disse a todos que não vai participar mais do patrocínio de clubes de futebol. Nós, preocupados com isso, já estamos procurando e hoje já temos bons patrocinadores para as costas, manga, peito. Todos os lugares já estão praticamente completos", comentou Pires à Rádio 98 FM.

Foto: Reprodução / Twitter (@Cruzeiro)

Com a declaração, o presidente do Cruzeiro reforça a dúvida sobre a permanência da Caixa nos clubes brasileiros. Nos últimos anos, a marca estatal foi a principal patrocinadora do futebol nacional. Na disputa da Série A do último Campeonato Brasileiro, 12 equipes estampavam a marca da companhia na principal propriedade do uniforme, como Flamengo, Santos e o próprio Cruzeiro.

Nas últimas semanas, a apreensão do mercado havia aumentado graças a uma declaração do futuro Presidente da República, Jair Bolsonaro, em sua conta pessoal do Twitter. Na mensagem, o político criticou os gastos do banco com publicidade e patrocínio, ainda que a companhia tenha negado os números apresentados.

LEIA MAIS: Análise: Saída da Caixa deixa mercado mais plural

Segundo Wagner Pires, o novo patrocinador máster do clube não poderá ser divulgado por ora por uma questão de "confidencialidade" do contrato. No entanto, o acordo deverá ser superior ao atual com a Caixa. Neste ano, o banco estatal pagou R$ 10 milhões pelo acordo com o time mineiro, além de bônus por conquistas em campo, como o título da Copa Continental do Brasil.