Presidente do Sevilla é condenado à prisão

O presidente do Sevilla, Jose Maria del Nido, recebeu pena de sete anos e meio de prisão. Dono do cargo desde 2002, o dirigente foi sentenciado por ter participado de esquema que desviou recursos públicos da Espanha na cidade de Marbella.

Ao todo, o mandatário terá de indenizar a prefeitura daquele município US$ 3,5 milhões, após ter atuado como advogado em corte de Malaga entre 1999 e 2003. O ex-prefeito de Marbella, Julian Munoz, recebeu a mesma punição, enquanto o assessor de planejamento urbano, Juan Antonio Roca, foi sentenciado a quatro anos de prisão.

Todos os três nomes têm cinco dias para apelar a partir da data da sentença, na última segunda-feira (19). O governo da Espanha dissolveu a gestão da cidade de Marbella em 2006, após estourar esc"ndalo que envolvia vários políticos da região, acusados de aceitar subornos e favores para conceder permissões para construção.

Del Nido havia ganhado espaço na mídia espanhola ao contestar o modelo de divisão das receitas, no qual Barcelona e Real Madrid levam as maiores fatias. "Isso foi terrivelmente injusto", disse Jose Castro, vice-presidente do Sevilla, à agência de notícias "Associated Press".

Atualmente, a dupla leva cerca de metade de todo o faturamento com TV da liga espanhola, algo em torno de 600 milhões de euros. Em 2010, Barcelona e Real concordaram em renegociar parte da renda com televisão a partir de 2015 com outros clubes menores.