Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Presidente renuncia à WNBA para se tornar CEO da Time's Up

Organização luta por igualdade e proteção das mulheres no mercado de trabalho

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 03/10/2018, às 11h42

Imagem Presidente renuncia à WNBA para se tornar CEO da Time's Up

A WNBA terá que ir atrás de um novo presidente. A atual mandatária da liga de basquete feminino dos EUA, Lisa Borders, anunciou que renunciará ao cargo no final do mês para se tornar CEO da Time’s Up, organização fundada para combater o assédio sexual, agressões e abusos contra as mulheres no ambiente de trabalho.

Desde que se tornou a quarta presidente da WNBA, a primeira mulher a ocupar o cargo, Lisa Borders foi a responsável por um crescimento exponencial da liga. Em 2017, o torneio alcançou os melhores números em relação a público e audiência na temporada regular dos últimos seis anos.

Foto: Reprodução

Além disso, Borders acertou as primeiras transmissões da competição via streaming com o Twitter e ainda fechou com a FanDuel para a criação do primeiro game fantasy da WNBA. Por último, lançou o "Take a Seat, Take a Stand", projeto que doa parte do dinheiro arrecadado com a venda de ingressos da WNBA para organizações sem fins lucrativos, com foco no empoderamento de meninas e mulheres.

“Tem sido uma honra e um privilégio absoluto liderar a WNBA e fazer parte do que ela representa. Estou orgulhosa das jogadoras por seus incríveis talentos na quadra e sua dedicação em causar impacto em suas comunidades. Estou ansiosa para continuar o meu apoio às mulheres em minha nova função na Time's Up. Sempre serei a maior defensora e fã da WNBA”, declarou Borders.

“Somos extremamente gratos pela liderança de Lisa e seu compromisso incansável com a WNBA. Esta é uma transição natural para ela, que é campeã em questões que envolvem o empoderamento das mulheres e a justiça social. Felizmente para nós, ela deixa a liga com fortes ventos impulsionando-a para frente”, afirmou Adam Silver, comissário da NBA.

Vale lembrar que a Time’s Up foi fundada em 1o de janeiro deste ano para apoiar o movimento #MeToo, criado para combater as alegações de abuso sexual contra Harvey Weinstein, ex-produtor de filmes em Hollywood.

Atualmente, a Time’Up já ultrapassou e muito as fronteiras de Hollywood e luta para garantir igualdade de oportunidades e proteção para todas as mulheres no mercado de trabalho. Famosas como Oprah Winfrey, Shonda Rhimes e Kerry Washington fazem parte da organização.

De acordo com a WNBA, o vice-comissário da NBA, Mark Tatum, deverá substituir Lisa Borders provisoriamente a partir de 1o de novembro. Em breve, a liga feminina deverá se pronunciar sobre qual será sua nova presidente.