Private equity europeu nega financiar dívida de Liverpool

Tom Hicks pretende vender Liverpool, mas quer poder até fim de 2012

Tom Hicks pretende vender Liverpool, mas quer poder até fim de 2012

O co-proprietário do Liverpool, da Inglaterra, Tom Hicks, terá problemas para manter o controle sobre o clube até o fim de 2012. Na última segunda-feira (21), o GSO Capital Partners, do grupo Blackstone, recusou refinanciar dívida de R$ 754 milhões, ou 282 milhões de libras, fator necessário para que o dono pudesse se perpetuar no poder por mais alguns anos.

A imprensa internacional relata que o private equity tem interesse na compra do clube inglês e já há, inclusive, acordo inicial com a dupla de proprietários atual formada por Hicks e George Gillett. Em abril, ambos colocaram o time inglês à venda e disseram ter desistido de permanecer no esporte. Outros clubes de beisebol e futebol americano pertencentes por eles nos Estados Unidos já foram vendidos.

Recentemente, porém, Hicks afirmou ter interesse em se manter até o fim de 2012, mas para isso terá de encontrar fundos para pagar dívida de 237 milhões de libras ao Banco Real da Escócia até 6 de outubro, ou poderá ter o clube confiscado.

A dupla de norteamericanos, contudo, terá de enfrentar reclamações não somente do banco escocês, há muito incomodado com as dívidas não pagas. A torcida do Liverpool já se queixa da administração de Hicks e Gillett e, a cada dia, aumenta o número de protestos por investimentos em jogadores e transparência de gestão.