Rúgbi vai extinguir colaboradores em confederação

A Confederação Brasileira de Rúgbi (CBRu) decidiu acabar com o amadorismo em sua gestão a partir da temporada de 2012. A entidade promete tirar os colaboradores na administração das seleções brasileiras e contar apenas com uma comissão técnica permanente. O objetivo, segundo Sami Arap, presidente da CBRu, é fazer com que o Brasil seja uma das nações top 30 do ranking da IRB (a associação mundial da modalidade).

"Ainda há muito trabalho por fazer. Temos que profissionalizar a estrutura com pessoas altamente capacitadas e isso será feito em 2012. Usávamos pessoas ligadas ao rúgbi e muitas delas ainda ligadas ao clubes e atuando em torneios. Mas isso deve acabar. Vamos otimizar a equipe e investir melhor os recursos da CBRu. Na minha opinião, quem não se profissionalizar, morrerá lentamente ao longo dessa caminhada", afirmou o dirigente.

Para fazer isso, a entidade planeja criar uma "Diretoria de rúgbi", órgão que será responsável por elevar o nível dos atletas de alto rendimento. Esse órgão deve implementar a criação de uma comissão técnica única e permanente, que será responsável pela gestão de todas as seleções principais, além de trabalhar na elaboração de um plano de desenvolvimento do rúgbi e na detecção de novos talentos para o esporte.

"Concluímos que o alto rendimento não alcançará patamares de excelência se não elevarmos o nível das comissões técnicas. Somente com planejamento e organização voltaremos a integrar o top-30 da IRB e até almejar uma classificação para uma Copa do Mundo no longo prazo", disse Arap.

Por conta de tudo isso, a expectativa do principal dirigente da CBRu é de certa apreensão para o ano de 2012. Apesar de contar com o apoio de grandes empresas privadas, como Bradesco, Heineken e Topper, a entidade deverá passar por um processo de ajustes, na visão de Arap.

"Será um ano muito difícil em vários aspectos. Teremos várias mudanças estruturais e culturais. Somente aqueles que tiverem competência reconhecida, dedicação e capacidade de assimilação das alterações permanecerão no grupo de trabalho futuro. O maior investimento da CBRu a partir de 2012 será nas categorias de base e numa comissão técnica de nível internacional", afirmou.

Um dos trunfos da entidade para isso é a criação de uma Academia Brasileira de Rugby, nome dado ao complexo de treinamento construído em São José dos Campos, no interior de São Paulo.