Santa Cruz resiste a assédio por aportes pontuais

"Não vamos nos prostituir", afirma diretor de marketing da equipe

Embora tenha sido eliminado pelo São Paulo, após ser derrotado por 2 a 0 na última quarta-feira (6), o Santa Cruz está orgulhoso da postura que adotou em relação a patrocínios na Copa Kia do Brasil. Ao todo, a equipe pernambucana recebeu 18 propostas de aportes pontuais, das quais considera apenas cinco sérias, mas resistiu à tentação.

"Nós temos mantido o cronograma de ações planejado no início da gestão, que busca a valorização do uniforme. Nós buscamos parcerias de longa duração, mesmo que tenhamos que sacrificar receitas imediatas. Não vamos nos prostituir", afirma Luiz Henrique Vieira, diretor de marketing do Santa Cruz.

À Máquina do Esporte, o executivo revelou que a equipe foi procurada por agências de marketing esportivo para estampar marcas em diversas propriedades. Em alguns casos, os valores oferecidos eram insuficientes. Em outros, o espaço exigido pela empresa iria poluir a camisa do Santa Cruz e ferir a imagem do clube.

"Eles queriam colocar marca nas axilas, nos ombros, ao lado do escudo, enfim, seria uma proliferação de marcas que não nos interessa", avalia o diretor. Com a eliminação na Copa do Brasil, o foco volta ao Campeonato Pernambucano, no qual divide a liderança com o Náutico. "Nós temos o apoio da torcida e seremos campeões", conclui.