Santa Cruz se aproxima de patrocínio único na camisa

Time se consagrou campeão pernambucano após seis anos

Time se consagrou campeão pernambucano após seis anos

Fatiar o uniforme com o maior número possível de marcas tem se tornado hábito cada vez mais comum no futebol brasileiro. O Santa Cruz, por outro lado, luta para fazer o caminho inverso. Após recusar propostas de acordos pontuais para a Copa Kia do Brasil, o clube negocia com uma empresa para que ela se torne patrocinadora no ombro e manga do uniforme neste ano e, em 2012, seja a única marca na camisa.

Atualmente, o Santa Cruz possui acordo até o fim do ano com os cimentos Poty, da Votorantim, para a cota máster do uniforme. Portanto, uma nova marca ocuparia espaços periféricos e assumiria uma posição de maior destaque em 2012. 

Para justificar a busca, o diretor de marketing do clube, Luiz Henrique Vieira, relembra o caso da Parmalat com o Palmeiras, parceria que tirou o clube paulista da fila de títulos na década de 1990. “As pessoas se esquecem que os grandes triunfos de patrocínios no futebol brasileiro foram com marcas únicas, sem dividir o uniforme”, afirmou.

O dirigente coloca a co-gestão como peça-chave para o sucesso da parceria, e vislumbra modelo semelhante no Santa Cruz. O clube pernambucano pede hoje um aporte financeiro que é o dobro do que é obtido com patrocínios em 2011. Em troca, dará ao parceiro uma cadeira na administração, com direito a voto e acompanhamento do processo de reestruturação da equipe. Após voltar a ser campeão estadual, o time tricolor tem meta de retornar à Série A do Campeonato Brasileiro em 2014.

Vieira aposta no projeto apresentado para empresas, que exibe como um investimento que não será alto no momento pode dar grandes resultados no futuro. “Quero dar mais do que a marca na camisa; quero dar resultados. E podemos oferecer torcida, estádio, patrimônio, crédito e possibilidades reais de crescimento”, completou.

Caso seja firmado, o contrato terá variantes conforme o clube subir de divisão. Como a empresa estará presente na diretoria, ela saberá das necessidades e de quanto o contrato deve ser reajustado, como uma parceria de fato.

As negociações para esse novo acordo, para a manga e ombro do uniforme em 2011, têm avançado. A direção do Santa Cruz agora tenta ajustar para que a parceira em longo prazo seja viabilizada. O clube classifica essa como a principal prioridade comercial da atual gestão.