Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Sem conseguir patrocínio, Maringá vôlei deixa Superliga

Time de Ricardinho anunciou retirada após viver problemas financeiros

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 07/08/2020, às 09h00 - Atualizado às 12h00

Imagem Sem conseguir patrocínio, Maringá vôlei deixa Superliga

Ricardinho lamentou falta de apoio (Foto: instagram.com/maringavolei)

O Maringá Vôlei não disputará a próxima edição da Superliga Masculina. O time jogou o principal torneio nacional por sete anos seguidos, com quatro nomes diferentes, mas dessa vez não conseguiu uma marca com força para manter a equipe na competição.

O clube, que tem como principal nome o levantador Ricardinho, chegou a ficar em sexto lugar no primeiro ano do projeto. No entanto, nas temporadas seguintes, teve dificuldades financeiras para se manter. Ao longo desses sete anos, o time jogou como Moda Maringá, Ziober Maringá Vôlei, Copel Telecom e por último Denk Maringá.

Ricardinho, que também é o fundador do time, lamentou a decisão. “Somos gratos pela oportunidade, mas infelizmente em um campeonato formado por gigantes, não tivemos o suficiente para brigar de igual pra igual”, afirmou em nota.

O jogador também comentou a dificuldade para conseguir um patrocinador mais forte: “faltou a famosa atenção ao esporte dos poderes públicos e do incentivo da classe empresarial”.

Ricardinho, por sinal, chegou a sair da aposentadoria para dar força ao time que vivia com problemas financeiros no início deste ano. Para completar a última Superliga, a equipe chegou a pedir doações online.

A Denk Academy, última patrocinadora máster do time, chegou a ficar meses sem arcar com o contrato, o que rendeu salários atrasados aos jogadores.