Sem contrato, Traffic corta salário de R. Gaúcho

 - Crédito André Portugal / VIPCOMM

- Crédito André Portugal / VIPCOMM

A falta de pagamento de Ronaldinho Gaúcho no Flamengo expôs um racha no relacionamento entre o clube carioca e a Traffic, agência de marketing esportivo que financiou a contratação do jogador no início deste ano.

Segundo a Máquina do Esporte apurou com fontes ligadas à parceria, a Traffic decidiu parar o pagamento a Ronaldinho desde que o Flamengo fechou o contrato de patrocínio com a Gillette sem o consentimento da agência e por intermédio da 9ine.

Até aquele momento, a Traffic bancava os salários do jogador mesmo sem ter nenhum contrato com o Flamengo assegurando que a empresa seria ressarcida do empréstimo feito ao clube. O acordo teria as mesmas bases que a própria Traffic já fez no passado com o Palmeiras, quando a empresa bancava os salários do técnico Wanderley Luxemburgo.

Com a assinatura do acordo com a Gillette via 9ine e sem o consentimento da Traffic para o negócio, a empresa decidiu avisar o empresário Assis, irmão e procurador do atleta, de que os pagamentos não seriam realizados sem que o contrato entre o clube e a Traffic fosse assinado.

O impasse respingou também no próprio relacionamento da Traffic com o Flamengo. Atualmente, clube e agência negociam quais propriedades serão comercializadas em conjunto para a próxima temporada.