Sem definição, Bellucci veste camisa Adidas

Um dia depois de o estafe do tenista Thomaz Bellucci ter desmentido um acordo para troca do fornecedor de material esportivo, o brasileiro mudou de roupa. Nesta terça-feira, ele usou camisa da Adidas durante a derrota por 2 sets a 1 para o cipriota Marcos Baghdatis, válida pela primeira rodada do Masters 1000 de Cincinnati.

A troca de Bellucci surpreende por conta da postura de seu estafe. A Koch Tavares, empresa que gerencia a carreira do atleta, disse na última segunda-feira que ele ainda teria de cumprir um período de carência do contrato com a Topper.

Procurada pela Máquina do Esporte, a Topper não foi encontrada para comentar a mudança de Bellucci. O tenista teve contrato com a empresa do grupo Alpargatas por três anos, período em que conseguiu ascensão considerável no ranking (não estava sequer entre os 300 do planeta quando assinou e hoje aparece no 25º posto).

O contrato de Bellucci com a Topper terminou no dia 31 de julho. A antiga parceira tinha prioridade na renovação e já havia avisado que pretendia exercer esse direito. Até a semana passada, a empresa alegava não ter recebido nenhum comunicado sobre proposta oficial de outra marca.

Contudo, Bellucci já tinha situação encaminhada com a Adidas. O tenista e seu estafe esperavam apenas o término do período em que a Topper poderia exercer preferência para anunciar a troca de fornecedor.

Em duas ocasiões diferentes, pessoas da Koch Tavares disseram que esse período de carência no contrato de Bellucci era de “20 ou 25 dias”. O tenista seguiu com roupas da Topper por 16 dias após o término do acordo.

Entre as principais razões para a mudança está a questão técnica. Bellucci reclamava dos calçados produzidos pela Topper e chegou a ser autorizado pela companhia a usar produtos de outras marcas para amenizar as dores. Curiosamente, porém, ele não utilizou nenhum tênis da Adidas nessas ocasiões.