Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Sicredi promove "apitaço" para mulheres em rodada do Paulistão

Mulheres entraram com jogadores no gramado e ainda "fizeram barulho" em campo

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 09/03/2020, às 07h16 - Atualizado às 10h16

Imagem Sicredi promove "apitaço" para mulheres em rodada do Paulistão

A celebração do Dia Internacional da Mulher, neste domingo (8), motivou uma ação inusitada promovida pela Sicredi, dona dos naming rights do Campeonato Paulista. Em todos os jogos da 9ª rodada do Paulistão Sicredi 2020, os jogadores foram a campo acompanhados de mulheres, em vez das tradicionais crianças.

Elas vestiam uma camisa na cor lilás, com a inscrição #OAPITOÉDELAS. Além disso, as 22 torcedoras que entraram com os times estavam com um apito e, após a execução do hino nacional, foram até o centro do gramado e fizeram um "apitaço". A escolha do artefato utilizado pelo árbitro foi também uma referência ao utensílio que é símbolo da luta da mulher contra o assédio.

Foto: Reprodução / Twitter (@Paulistao)

"Valorizamos iniciativas que fomentem a inclusão feminina em diferentes setores da comunidade. Nas cooperativas, trabalhamos para aumentar o número de mulheres em cargos de liderança e acreditamos que esse protagonismo é fundamental em diferentes áreas, como o futebol, e especialmente em um campeonato tão importante como o Paulistão Sicredi", disse Rogério Leal, gerente de marketing da Sicredi para as regiões de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, em nota.

A iniciativa reforça o novo posicionamento da Federação Paulista de Futebol (FPF) em relação às mulheres. No começo do Paulistão, a entidade lançou a campanha "Elas no Estádio", que procura incentivar a presença de mulheres nos jogos de futebol.

LEIA MAIS: FPF e clubes lançam Paulistão com movimento pelas mulheres

"O apitaço é mais uma ação que reforça o movimento único, da FPF e dos clubes filiados, para reforçar o fato de que o futebol é um ambiente para a mulher, assim como é para os homens. Queremos mais mulheres praticando futebol, assistindo futebol e desfrutando desse esporte que movimenta milhões de pessoas no Brasil, mas que ainda está rodeado de preconceito. O futebol não tem gênero", afirmou Aline Pellegrino, diretora de futebol feminino da FPF e embaixadora do #ElasNoEstádio.