Site vende produtos para patrocinar atletas

Lançado em abril, Dpatrô vende produtos para ajudar atletas

Lançado em abril, Dpatrô vende produtos para ajudar atletas

Em março de 2009, quando estava machucada, a ginasta Jade Barbosa vendeu camisetas em seu site para custear o tratamento. Desde abril deste ano, o site Dpatrô resolveu estender esse conceito a outros esportistas. O portal representa uma agência que já conta com cinco atletas, e usa a venda de produtos para bancar viagens e inscrições em competições.

O projeto abarca atualmente os surfistas Kadu Medeiros, Gabriel Medeiros, Felipe Souza e Leandro Alves e o skatista Carlos Niggli. A ideia básica é que o montante amealhado com produtos vendidos no site será destinado a viabilizar a carreira desses atletas.

“A marca é uma forma de gerar recursos através da compra conceitual. É uma forma participativa. No futebol, você compra a camisa do seu time e tem a noção de que está investindo nele. No esporte de ação não é tanto assim. As marcas no Brasil, atualmente, são multinacionais. Elas investem em grandes eventos, mas não participam do desenvolvimento do esporte”, opinou Mário Santos, surfista, empresário e idealizador da Dpatrô.

O próprio nome Dpatrô é um neologismo oriundo de “Dê patrocínio”, que sintetiza o conceito da marca. Há cinco modelos de camisetas à venda, inspiradas no estilo de vida de esportes de ação, e os atletas ficam com parte do lucro.

Na fase inicial, a meta da marca é arrecadar R$ 700 mensais para cada atleta. Além da venda de produtos, a Dpatrô possui um projeto sobre eventos e estratégias de ativação para empresas patrocinadoras. Assim como acontece com as coleções, essas iniciativas gerariam fundos para os atletas.

“Ações de marketing esportivo são outro produto que nós queremos explorar. O projeto é a marca, que envolve a coleção e essas ações. Neste ano, não conseguimos nos cadastrar e não tivemos aprovação na Lei de Incentivo ao Esporte. Mas é uma ideia para um futuro próximo”, completou Santos.