Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Tato ?isenta? contratos de Michael Phelps

Tato ?isenta? contratos de Michael Phelps

Redação em São Paulo - SP Publicado em 03/02/2009, às 11h00

O maior medalhista da história de uma edição dos Jogos Olímpicos, e também um fenômeno do marketing esportivo, foi pego fumando maconha em uma festa. No entanto, o mercado, que normalmente reagiria explosivamente, deve repreender o atleta, mas quebras ou reduções de contratos de patrocínio não estão nos planos das empresas. Em se tratando do nadador Michael Phelps, o panorama traçado, segundo especialistas, é o mais provável. ?Eu não acredito que ele vá perder nenhum patrocínio, e nem mesmo potenciais anunciantes. Ele lidou tão bem com a coisa e tão rapidamente que vai utilizar do benefício da dúvida?, disse Marc Ganis, presidente da SportsCorp, em entrevista ao jornal ?Baltimore Sun?. Logo após a publicação da imagem em que o nadador aparece tragando a droga em uma espécie de cano especial, feita pelo inglês ?News of the World?, a assessoria de imprensa de Phelps divulgou uma nota explicativa assinada por ele. ?Eu tive um comportamento reprovável e fiz uma má escolha. Eu agi de uma forma infantil e inapropriada, como as pessoas não esperam que eu aja. Por isso, eu peço desculpas. Eu prometo para os meus fãs e para o público em geral que isso não irá acontecer novamente?, disse o astro. A resposta condescendente do mercado, no entanto, não indica a manutenção do status de intocável. A exposição negativa e as reprimendas do Comitê Olímpico Internacional e do Comitê Norte-Americano são mostras da perda que Phelps deve ter nos próximos meses. Além disso, a avaliação é a de que o nadador se colocou diante de um risco desnecessário. ?Os patrocinadores certamente podem olhar o contrato. Se existir algum tipo de cláusula moral ela pode ser usada para um rompimento?, disse Peter Land, CEO da Breeders.