Topper prevê aumento na venda de bolas até Copa

Márcio Utsch (à esq.), da Alpargatas, e Marco Polo Del Nero, da FPF

Márcio Utsch (à esq.), da Alpargatas, e Marco Polo Del Nero, da FPF

A Topper apresentou nesta terça-feira (1º) a bola que será utilizada no Campeonato Paulista de 2012, em evento realizado na Federação Paulista de Futebol (FPF). Menos peso, menos costuras e visual mais limpo. Com essas alterações em relação à versão desta temporada, a fabricante de materiais esportivos espera impulsionar a venda de bolas.

A quantidade de unidades comercializadas neste ano, bem como o valor recebido por meio desse produto, não pode ser divulgado pela Topper em função de ser uma empresa de capital aberto, de acordo com Márcio Utsch, presidente da Alpargatas, detentora da marca. Mas o executivo revelou que, de 2010 para 2011, as vendas subiram 29%.

A tendência, segundo Utsch, é que esse número seja elevado pela chegada da Copa do Mundo. "É um evento que cumpre muito bem a função de gerar visibilidade, algo que facilita as vendas", analisa o presidente do grupo. O contrato com a FPF, em parceria que já dura nove anos, é válido justamente até 2014, ano da competição no país.

No evento, o executivo também afirmou que a Topper pretende ampliar a zona de atuação para toda a América Latina até o Mundial no Brasil. O planejamento foi detalhado à Máquina do Esporte por Fernando Beer, diretor de artigos esportivos da Alpargatas, que explicou que a Colômbia é um dos mercados que será priorizado por ora.

Na Argentina, a empresa já atende Veléz Sarsfield, Newell"s Old Boys e Estudiantes. "A maioria das seleções que vai jogar a Copa já está bloqueada, então nós vamos ficar em clubes e instituições", afirma Beer. No Brasil, a Topper é parceira do Grêmio e do Atlético-MG, além da federação paulista e das confederações de futsal e rúgbi.