Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte

Vasco estrutura sistema de franquias

Vasco estrutura sistema de franquias

Rodrigo Capelo em São Paulo - SP Publicado em 11/06/2010, às 20h00

A administração de Roberto Dinamite, no Vasco, enfrenta dificuldades para emplacar produtos licenciados. Quando uma empresa produz determinado item, por exemplo, o clube não tem como oferecer opções para distribuição, fator que emperra futuros negócios. Para solucionar esse problema e, enfim, alavancar a comercialização de produtos do time, a diretoria de marketing do Vasco estruturou o sistema de franquias que será responsável por padronizar procedimentos e criar lojas oficiais pelo Brasil, cujo nome será unificado em "Gigante da Colina". Atualmente, o time carioca está selecionando empresários interessados em abrir um estabelecimento, no qual poderá vender itens licenciados. Em São Paulo, até o próximo sábado (12), o marketing do clube apresenta o projeto na feira Franchising Expo, da Associação Brasileira de Franchising (ABF). "Iremos apresentar a coleção e captar interessados", afirma o diretor de marketing, Marcos Blanco. Com o mesmo intuito, ainda será organizado um evento, provavelmente na sede náutica do clube, em julho. Serão convidados executivos e lojistas especializados em materiais esportivos de todo o Brasil. Para aderir ao sistema vascaíno e possuir uma loja oficial, o empresário terá de desembolsar entre R$ 200 mil e R$ 250 mil, segundo Blanco. "Esse valor inclui a taxa de franquia, estoque, giro, tematização da loja, arquitetura, negociação do ponto, enfim, o pacote completo", explica o diretor. A estimativa é que haja retorno em 18 a 36 meses. O estabelecimento fixo, imóvel, não será a única opção. "Iremos desenvolver quiosques e lojas itinerantes, carretas com produtos licenciados para jogos específicos no interior, por exemplo", diz. A novidade dá continuidade à estratégia do marketing de ampliar a presença do clube em mercados fora do Rio de Janeiro, como no Nordeste e em Brasília, onde há ampla base de torcedores e potenciais consumidores. "Em outros lugares, como Manaus, Vitória e até Santa Catarina, há uma legião de vascaínos que nós temos de atingir", avalia o diretor. "Dessa forma, iremos passar o sentimento de unidade, mostrar ao torcedor que, ao comprar na loja oficial do clube, ele irá ajudar a reforçar a equipe". Até o fim de 2010, devem ser inauguradas de 10 a 12 lojas oficiais. A meta para os próximos cinco anos é criar rede com cerca de 100 pontos-de-venda. "É um dos projetos da gestão Dinamite: criar um sistema de franquias que gere receitas diretas com rede de distribuição e alavancar contratos de licenciamento", finaliza Blanco.