Ventos fortes geram transtorno no Parque Olímpico e nos Jogos

Live site teve que ser interditado graças aos ventos no Parque Olímpico (Foto: Erich Beting/Máquina do Esporte)

Nem as placas de concreto na base aguentaram os ventos (Foto: Duda Lopes/Máquina do Esporte)

Às 10 horas da manhã, os termômetros do Parque Olímpico marcavam 35ºC, indicando mais um dia quente no Rio de Janeiro. Poucas horas depois, no entanto, o tempo virou, e quem apareceu como um novo desafio foram os ventos; eles chegaram a 72 km/h na capital fluminense.

A forte ventania logo derrubou parte das grades e das sinalizações do Parque Olímpico. Perto do meio-dia, a divisória da passarela que leva o público do BRT ao complexo dos Jogos estava inteira no chão, o que deu trabalho extra aos voluntários.

Mais à tarde, a organização teve que fechar parte das atrações do Parque Olímpico como medida de segurança. Isso incluiu o balcão da Mega Store e o Live Site, espaço para que torcedores aproveitem os Jogos pelos telões. A cobertura do local é feita por lonas montadas em postes.

Houve até uma curiosidade: a organização cercou alguns totens de informações, o que basicamente os inutilizou para os torcedores. Mesmo com uma forte base de concreto, alguns deles não resistiram aos ventos do dia carioca.

Diretamente no esporte, a ventania também gerou problemas. A prova de remo, marcada para a manhã na Lagoa Rodrigo de Feitas, teve que ser adiada. A federação internacional da modalidade entendeu que o clima não era o ideal para a competição.