Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Opinião / Mônica Esperidião

Opinião: O futebol feminino na Globo

Final da Brasil Ladies Cup foi primeiro jogo de futebol feminino entre clubes a ser exibido ao vivo na TV aberta

Mônica Esperidião, especial para a Máquina do Esporte Publicado em 21/12/2021, às 09h28

Dilma Maria Mendes presenteia Aintzane Encinas com uma camisa da seleção brasileira autografada - Divulgação / Brasil Ladies Cup
Dilma Maria Mendes presenteia Aintzane Encinas com uma camisa da seleção brasileira autografada - Divulgação / Brasil Ladies Cup

A repercussão da Brasil Ladies Cup 2021 ultrapassou os limites do digital. Pela primeira vez um jogo de futebol feminino entre clubes foi transmitido na Globo e teve chamada no Jornal Nacional.

Talvez a maioria dos que estão lendo este artigo não tenham ideia da representatividade desse acontecimento. Então, para tangibilizar um pouco melhor, tive uma ideia que talvez os ajude a ter melhor noção da grandiosidade deste momento.

Eu apareci no Jornal Nacional, contando rapidamente sobre a importância de também trabalhar a capacitação dos stakeholders envolvidos no contexto do futebol feminino para a profissionalização da modalidade e…

…meu WhatsApp, em questão de minutos, já tinha mais de 100 mensagens de amigos e familiares contando que tinham me visto. Pessoas que há muito tempo não tenho contato apareceram me dando os parabéns. O mundo é muito louco, né?

Meu Instagram, onde tenho 3 mil seguidores, teve mais de 2 mil impressões nesse vídeo e cheguei a 70% a mais de perfis que não me seguiam, com uma interação de 76,3% superior em relação à semana anterior. Sem contar meu LinkedIn, em que foram mais de 1.500 visualizações.

Dados estatísticos retirados do perfil @monicaesperidiao no Instagram

Meu objetivo ao compartilhar as estatísticas do meu Instagram é para que vocês comparem com o de vocês. Peguem o vídeo mais repercutido que tiveram e vejam estes dados, considerando a proporção dos seguidores, claro!

Mas o impacto mais relevante, como comentei quando postei o vídeo, não foi o fato de eu ter aparecido no Jornal Nacional (não vou mentir que me fez muito bem este meu minuto de fama, tá?) ou toda essa repercussão que mostrei para vocês, mas sim a representatividade deste momento para o crescimento da categoria. Para nos dar uma ideia mais clara do que significa na vida das atletas, dos clubes e das federações quando falamos de futebol feminino na TV aberta, o alcance que se tem. Isso faz com que a roda de visibilidade, investimento e retorno circule prosperamente. 

Como tratamos durante os quatro dias da Semana de Desenvolvimento, essa história de maior visibilidade do futebol feminino está só começando e ainda há muitas oportunidades a serem exploradas. Nós contamos muitas delas durante toda a semana, em que tratamos de diversos temas apresentados por diferentes profissionais do mercado. 

No primeiro dia, o tema foi “Área Técnica – Iniciação no Futebol Feminino”, com uma palestra da treinadora espanhola Maria Pry sobre o “Desenvolvimento do futebol feminino: da formação à profissionalização”. Ela nos trouxe uma perspectiva internacional sobre a importância de se trabalhar aspectos à parte da performance técnica das jogadoras, que foi muito bem complementada pela mesa seguinte, moderada pela Japa Mayumi, criadora de conteúdo, que contou com as presenças de Bia Margutti, treinadora do Pelado Real FC; Sandra Santos, treinadora de base do Santos e idealizadora do projeto Meninas em Campo; Julia Passero, treinadora das categorias de base de futebol feminino da Ferroviária; e Rodrigo Coelho, coordenador técnico do A.D. Centro Olímpico e captador de atletas do São Paulo. Nela, foram discutidos os diferentes caminhos que nossas meninas têm como oportunidade para entrar no futebol feminino atualmente.

Mesa-Redonda: Caminhos para o alto rendimento no futebol feminino

No segundo dia, trouxemos “Marketing e Comunicação” e tivemos verdadeiras aulas com os convidados que estiveram em cada um dos painéis, começando com o diretor de futebol feminino da LaLiga, Pedro Malabia, que tive o prazer de entrevistar e que deixou a todos uma mensagem de expectativa ainda mais otimista. Falamos da final do Paulistão Feminino 2021, que bateu o próprio recorde de público presente na Neo Química Arena e ainda serviu como exemplo de criação de valor para as marcas.

As mesas deste dia foram também arrebatadoras. Primeiro, Mari Pereira, repórter do Dibradoras e comentarista dos canais esportivos da Disney, reuniu alguns dos principais canais que hoje estão trabalhando o futebol feminino de diferentes maneiras. Victor Machado (pelo YouTube), Joana Thimoteo (da Globo) e Marcelo Miranda (do TikTok) demonstraram que está mais do que nos planos de cada uma dessas empresas abrir as portas aos fãs do futebol feminino.

Para encerrar o segundo dia de painéis, Fábio Wolff, diretor na Wolff Sports & Marketing, me confessou a aula de “Marketing de causa” que teve com as craques Mariana Miné, CEO da Confederação Brasileira de Rúgbi (CBRu); Kin Saito, coordenadora de comunicação na RiosCom e coordenadora de atletas & talents na Octagon Brasil; e Júlia Vergueiro, CEO do Pelado Real FC e fundadora da Nossa Arena.

Mesa-Redonda: Diferentes formas de consumir o futebol feminino

Entrando no terceiro dia, falamos de “Inovação: outras soluções para o futebol feminino“, em que Sofia Cesar, fundadora da Classe das Campeãs, e Felipe Ribbe, head de inovação do Atlético Mineiro, nos abriram a cabeça com cases reais e, depois, em um debate comandado por Pedro Martins, vice-presidente de competições da Federação Paulista de Futebol (FPF), demonstraram que inovar não necessariamente significa só aplicar tecnologia. Além disso, deixaram claro que não basta só pensar fora da caixa, sendo necessário também atuar, fazer com que a ideia saia do papel. E aí, as meninas do hub “Mentes Inquietas“ mostraram como transformar problemas locais e reais por meio da cocriação, inovação e colaboração em soluções inovadoras.

Felipe Ribbe, Sofia Cesar e Pedro Martins: "Inovação: outras soluções para o futebol feminino"

Por fim, para encerrar com chave de ouro, unimos gerações, países e idiomas diferentes em uma manhã em que “Futebol feminino a longo prazo“ foi o nosso foco, mas de diferentes pontos de vistas. Começamos com uma referência internacional em liderança e gestão, com uma entrevista minha com Aintzane Encinas, embaixadora da LaLiga. Ela se emocionou e também a todos nós, quando convidamos nossa atleta pioneira, Dilma Maria Mendes, para presenteá-la com uma camisa da seleção brasileira autografada. “Graças a você, nós estamos aqui, muito obrigada por tudo que você fez pelo futebol feminino”, disse Aintzane, chorando ao abraçar Dilma no palco.

Confesso que as lágrimas de todos os presentes não pararam de cair e só fomos nos arrepiando ainda mais, quando, junto à Dilma, unimos no palco também Jéssica Lima, auxiliar técnica da seleção brasileira Sub-20; Mauro Silva, vice-presidente da FPF, ex-jogador e tetracampeão mundial com a seleção brasileira; e Roberta Nina, jornalista e cofundadora do Dibradoras, para dividir com todos os desafios, dificuldades e experiências da carreira de um atleta, o presente e o futuro, após a aposentadoria. 

Finalizando, no último dia reunimos os grandes nomes do futebol feminino fora de campo, mulheres que estão escrevendo essa história à frente das entidades que comandam o nosso futebol. A experiente jornalista Fernanda Arantes moderou a mesa que também contou com Fabimar Franchi, head de sustentabilidade e desenvolvimento do futebol feminino na Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL); Aline Pellegrino, coordenadora de competições femininas da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e ex-jogadora da seleção brasileira; e Ana Lorena Marche, coordenadora de futebol feminino da FPF. 

Para quem perdeu algo ou não teve a oportunidade de assistir, todos os painéis estão no canal da Federação Paulista de Futebol no YouTube. Corre lá porque está imperdível!

E para quem perdeu a final, vale buscá-la nos canais Globo. O São Paulo ganhou do Santos e foi memorável ver a reunião das torcidas em paz pelo futebol feminino no Allianz Parque. Compartilho aqui embaixo os melhores momentos também. 

E, mais uma vez, aproveito para agradecer a cada peça humana que foi parte deste evento: Juliana Daguano, Dayane Rocha e Mariane França, minhas queridas parceiras; Ana Lorena Marche e Victoria Pissolato, diretoria de futebol feminino da FPF; Anderson Rubinatto, agência Goolaço; Fábio Wolff e Doris Zaclis Wolff, Wolff Sports & Marketing; Bete Lima e Renata Lutfi, Press FC; e também a toda a equipe de transmissão de conteúdo, produção audiovisual, redes sociais e equipe de eventos do hotel onde tudo ocorreu; a todos os palestrantes, participantes das mesas-redondas e profissionais das atividades práticas.

Muito obrigada por fazerem se tornar realidade.

E especialmente a todas as pessoas que se deslocaram pessoalmente até lá e aos que nos assistiram pelo YouTube, obrigada pela audiência. Tudo só foi um sucesso graças a todos vocês!

Mônica Esperidião Hasenclever é especialista em gestão e marketing esportivo, cofundadora da WES, professora na SporTeach e escreve mensalmente na Máquina do Esporte (sempre tendo como propósito promover a visibilidade da mulher e a inclusão da diversidade em todos os âmbitos e áreas do esporte)