Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Opinião / Bernardo Pontes

Opinião: Oportunidade no mercado esportivo, mas você não está preparado para ouvir isso

Estudo e capacitação são essenciais, assim como aceitar não ser bem remunerado no início, se for o caso

Bernardo Pontes, especial para a Máquina do Esporte Publicado em 19/10/2021, às 08h31

Capacitação é o caminho; muitos querem entrar no mercado, mas nunca pararam para estudar - Reprodução
Capacitação é o caminho; muitos querem entrar no mercado, mas nunca pararam para estudar - Reprodução

Antes de mais nada, faço questão de iniciar meu primeiro texto citando a alegria e a satisfação por ter sido convidado pelo Erich Beting e o Gheorge Rodriguez para ser um dos colunistas da Máquina do Esporte. A Máquina certamente foi um dos canais que mais me incentivou e fez com que me apaixonasse por gestão esportiva. Lembro dos meus tempos de faculdade em que eu assinava as revistas da ME e ficava ansioso esperando a chegada das próximas edições.

No meu primeiro texto, vou abordar o tema de capacitação e entrada no mercado esportivo, afinal vejo muitas pessoas com o sonho de trabalhar no segmento. No meu Instagram, recebo quase todos os dias mensagens de jovens que sonham iniciar a carreira já no esporte e até mesmo pessoas mais velhas que estão insatisfeitas com suas atividades e visam um reposicionamento de carreira.

Sempre falei para os meus alunos que trabalhar com gestão esportiva é fácil, difícil é ser bem remunerado. Muitos sonham ser head de marketing de um grande clube, mas pouquíssimos estão dispostos a liderar um projeto em um time pequeno que está precisando de ajuda, que sequer tem um departamento de marketing e receberia de braços abertos o trabalho voluntário de um ou mais profissionais. Na linguagem do futebol, seria como um jogador querer jogar no profissional com o Maracanã lotado, sem sequer ter passado pela base. Tenho convicção de que você que está lendo esse texto pode e tem tudo para montar um projeto de marketing para um time/clube pequeno (não necessariamente de futebol, mas de qualquer esporte), envolvendo diversas variáveis que o mercado busca.

E quais são elas?

  • Captação de patrocínio e ativação de marcas;
  • Branding;
  • Gestão de influenciadores;
  • Relacionamento;
  • Potencialização dos canais digitais;
  • Projeto social;
  • Outras variáveis envolvendo aspectos financeiros e jurídicos.

Se você envelopar tudo isso com um conceito e um propósito, e bater à porta desse clube, eles irão te receber de braços abertos. Irão te remunerar? Jamais. Mas você tem grandes chances de sair de lá com uma autorização para levar o projeto ao mercado e, se der certo, ter uma porcentagem de comissionamento.

Nesse projeto, se você for capaz de apresentar que cada centavo investido pela empresa terá retorno por meio de visibilidade e, principalmente, na geração de negócios e clientes de acordo com o produto e/ou serviço do parceiro, suas chances aumentarão consideravelmente.

Agora, a pergunta mais importante é: você está capacitado para montar tal projeto? Você tem conhecimento de todas as valências que são fundamentais para se montar um projeto esportivo? Quanto você já estudou e se preparou para ter convicção de que o seu projeto tem relevância? Quantos cursos e quem do mercado você ouviu para que o gestor desse clube tenha confiança de que aquilo que está sendo apresentado tem o mínimo de sustentação?

Aqui vale dizer que aprofundarei esse tema de elaboração de projetos em uma outra coluna.

Capacitação é o caminho. Muitos querem entrar no mercado, mas nunca pararam para estudar. A distância não é mais problema, visto que a pandemia acelerou o processo de digitalização de conteúdos. Diversos eventos gratuitos ou até mesmo pagos estão disponíveis para absorção de conhecimento.

A hora de parar e se capacitar é agora.

O mercado de fato é muito concorrido, mas, sempre que abro uma oportunidade de trabalho, uma das primeiras premissas que vêm a cabeça é a frase que ganhou fama entre os boleiros: “jogou onde?”. E um projeto esportivo, mesmo que de forma voluntária, é um selo de autenticidade e tanto nessa disputa parelha por determinada cadeira. Boa sorte!

[Colocar ALT]

Bernardo Pontes é sócio da Alob Sports, agência de marketing esportivo especializada na gestão de carreira de atletas. Trabalhou no departamento de marketing de clubes como Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense e Vasco, além de agências como Geo Eventos e Golden Goal. A partir desta terça-feira (19), passa a escrever mensalmente na Máquina do Esporte.