Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Opinião / Mônica Esperidião

Opinião: Uma semana toda dedicada ao futebol jogado por mulheres

Os bastidores da criação de todo o projeto da Brasil Ladies Cup, que acontecerá daqui um mês em São Paulo

Mônica Esperidião, especial para a Máquina do Esporte Publicado em 19/11/2021, às 07h20

Ladies Cup será disputada no final da temporada e terá programação para qualificar profissionais do futebol feminino - Divulgação
Ladies Cup será disputada no final da temporada e terá programação para qualificar profissionais do futebol feminino - Divulgação

Há alguns meses, fui convidada pela Federação Paulista de Futebol (FPF) e pela FIFOs (Federação Internacional de Football Soccer Society) a realizar a curadoria da Semana de Desenvolvimento do Futebol Feminino – Brasil Ladies Cup 2021, com a missão de realizar um programa diferenciado, que aportasse valor ao mercado.

Preciso ressaltar que me senti muito lisonjeada pelo reconhecimento e entusiasmada com o desafio e a  responsabilidade que teria pela frente. 

Além disso, fiquei muito animada por fazer parte da primeira edição deste campeonato que contará com Ferroviária, Flamengo, Palmeiras, Santos, São Paulo, América de Cali (COL), River Plate (ARG) e Santiago Morning (CHI). O torneio Brasil Ladies Cup tem data marcada entre os dias 12 e 16 de dezembro. Os times se enfrentarão em 12 partidas que serão disputadas no recém-inaugurado Estádio Municipal de Santana de Parnaíba. E com a grande final no dia 19 de dezembro, no Allianz Parque.

Times participantes da primeira edição da Ladies Cup, que acontecerá em dezembro, em São Paulo
Reprodução

Para quem não me conhece, sou movida a desafios. Não sei viver sem eles. E talvez um dos maiores que tenho enfrentado nos últimos anos da minha carreira foi o de proporcionar maior visibilidade e gerar oportunidades para a mulher no esporte, seja dentro ou fora de campo, piscinas, tatames, etc. O que busco diariamente é mostrar ao mundo que nós podemos fazer o que queremos da nossa vida e por que não sonhar em ser jogadora de futebol?

Foi baseado nesse sonho, nesse desejo e nesse propósito de criar oportunidades e possibilidades para promover o futebol feminino que eu e Juliana Daguano, que é jornalista com mestrado em Ética e Integridade no Esporte, desenhamos o programa dessa semana. Deu muito trabalho, mas podemos garantir que cada detalhe foi pensado para disseminar conhecimento, promover networking e proporcionar ferramentas que, na prática, possam ajudar a desenvolver a categoria.

Nós organizamos uma agenda baseada em algumas premissas inegociáveis:

  • Garantir o acesso do conteúdo ao público interessado no futebol feminino. Por isso, fiquem de olho nas redes sociais da @brasilladiescup. Logo será divulgado o site para inscrição;
  • Realizar atividades que, na prática, realmente pudessem agregar valor aos stakeholders dessa indústria. Serão convidados diferentes profissionais de todos os clubes paulistas para participar do evento de forma ativa;
  • Dinamismo nos painéis. Ou seja, não teremos somente palestras, mas também mesas-redondas, dinâmicas, clínicas e workshops, além de muito networking;
  • Temáticas relevantes e necessárias para o momento atual. Separamos os temas ao longo dos quatro dias de forma a aprofundar ao máximo cada um. Trataremos de área técnica, iniciação, marketing, inovação, gestão e liderança;
  • E contaremos com profissionais de diferentes perfis e experiências para gerar um debate rico em informação e conhecimento.

Toda a programação de palestras e mesas-redondas será transmitida ao vivo, aberta ao público, no canal do YouTube da FPF, sob prévia inscrição, entre os dias 15 e 18 de dezembro. E os profissionais convidados para estes painéis receberão para participar do evento. Afinal, nada ocorreria se eles não estivessem lá.

Tocando neste ponto, gostaria de aproveitar para fazer uma provocação ao nosso mercado. Esta é outra prática que adotei como premissa este ano para eventos que organizo e/ou participo. Como “estrelas” que garantem a audiência de um evento como este, nada mais justo e profissional que as mesmas sejam minimamente remuneradas para tal. Este é um movimento que precisamos começar a adotar no nosso setor. Compartilhar conhecimento e experiência tem um preço, sem contar o tempo de preparo que as pessoas levam para planejar suas apresentações. 

E se eu bato tanto na tecla com as jogadoras de futebol feminino, que elas precisam valorizar mais sua imagem e não aceitar, por exemplo, realizar qualquer post só por uma permuta de produto ou serviço, não posso realizar um congresso de desenvolvimento da categoria sem também valorizar os profissionais que fazem parte dessa construção comigo. 

Sei que existem realidades diferentes ao organizar um evento como este. No nosso caso, é um evento com verba incentivada, que nos impõe algumas restrições, mas não nos impede de remunerar todos os profissionais. Portanto, fica a dica para meus colegas, organizadores de eventos, congressos, lives, talks, meetings, etc. Vamos nos atentar para não perder os principais ingredientes deste bolo. 

Bom, é claro que para temperar ainda mais meu desafio, estou organizando tudo a distância, mas, obviamente, com a parceria de diversos profissionais. Eu vim do esporte coletivo, não tinha como liderar este projeto sem contar com uma equipe incrível para me ajudar a construí-lo. O time tem a Juliana Daguano, minha fiel escudeira; Ana Lorena Marche e Victoria Pissolato, da diretoria de futebol feminino da FPF; Anderson Rubinatto, da agência Goolaço; Fábio Wolff e Doris Zaclis Wolff, da Wolff Sports & Marketing; Bete Lima e Renata Lutfi, da Press FC; e todos os palestrantes, participantes das mesas-redondas e profissionais das atividades práticas. Muito obrigada por fazerem parte e confiarem em mim para essa missão. Que a Semana de Desenvolvimento do Futebol Feminino – Brasil Ladies Cup 2021 seja um sucesso e que possamos voltar a trabalhar juntos na próxima edição!

Encontro com todos vocês em algumas semanas, aí no Brasil! E para quem se interessa em se desenvolver e conhecer melhor sobre o futebol feminino, siga @brasilladiescup e se inscreva para assistir a este evento preparado com muito carinho e profissionalismo!

Mônica Esperidião Hasenclever é especialista em gestão e marketing esportivo, cofundadora da WES, professora na SporTeach e escreve mensalmente na Máquina do Esporte (sempre tendo como propósito promover a visibilidade da mulher e a inclusão da diversidade em todos os âmbitos e áreas do esporte)