Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Mídia

Audiência do Super Bowl mostra que NFL ainda é produto de nicho no Brasil

ESPN dominou entre canais pagos e teve três vezes mais Ibope que a RedeTV! na transmissão do evento

Erich Beting e Wagner Giannella - São Paulo (SP) Publicado em 17/02/2022, às 08h07

Cooper Kupp (dir.) foi o responsável pelo touchdown que decidiu o jogo a favor do Los Angeles Rams - Reprodução / Twitter (@RamsNFL)
Cooper Kupp (dir.) foi o responsável pelo touchdown que decidiu o jogo a favor do Los Angeles Rams - Reprodução / Twitter (@RamsNFL)

Com uma transmissão ao vivo em TV aberta pela primeira vez em duas décadas, o Super Bowl nunca teve tanto destaque na mídia brasileira como nesta edição de 2022. Mas, a julgar pela audiência que a grande decisão da NFL teve no Brasil neste ano, está claro que o futebol americano e a liga ainda são um produto de nicho no país.

A Máquina do Esporte obteve com exclusividade os números da audiência consolidada, tanto na TV aberta quanto na fechada, da televisão brasileira na noite do último domingo (13), quando o Super Bowl LVI foi disputado. Os índices medidos pelo Kantar Ibope Media mostram que a NFL não conseguiu “furar a bolha“ do fã de esporte.

Durante a faixa horária do duelo entre Los Angeles Rams e Cincinatti Bengals (das 20h30 à 0h), a ESPN, que transmitiu a partida vencida pelos Rams com exclusividade na TV paga, conquistou um desempenho 78% acima da concorrência do segmento esportivo.

Ainda segundo a empresa de inteligência de mídia, a emissora do grupo Disney, que contou com equipe in loco no SoFi Stadium, em Los Angeles, alcançou mais que o triplo de audiência (220%) que a RedeTV!, que fechou com a NFL menos de duas semanas antes da decisão para exibir o jogo ao vivo na TV aberta.

A ESPN marcou 1,5 ponto de média, com picos de 2 pontos em determinados momentos da partida, enquanto a RedeTV! marcou 0,5 ponto de média no Painel Nacional de Televisores (PNT). Cada ponto no Ibope equivale a 258.821 domicílios e 713.821 indivíduos. Isso significa que 1,5 milhão de pessoas assistiu a pelo menos 15 minutos ininterruptos da partida em um dos dois canais. 

A comparação dos números obtidos pelas duas emissoras mostra que o fã de futebol americano teve uma certa “lealdade“ com a ESPN, que transmitiu toda a temporada 2021/2022 e é conhecida por exibir a NFL e as demais ligas americanas, como NBA, NHL e MLB. Diferentemente da RedeTV!, que fez acordo apenas para a final e ainda não tem essa tradição nos chamados esportes americanos.

Em segundo lugar, a audiência também demonstra que a NFL ainda é um produto de nicho no Brasil. A RedeTV! não conseguiu, com a transmissão da partida, elevar significativamente sua audiência no horário, o que mostra que o canal não levou um “público novo“ para o esporte.

Mesmo assim, o interesse do brasileiro em consumir a NFL e o Super Bowl segue em crescimento de acordo com as pesquisas mais recentes. Segundo dados do Sponsorlink, maior pesquisa especializada em esporte do mundo, feita pelo Ibope Repucom, o número de brasileiros conectados que se declaram fãs de futebol americano passou de 15,2 milhões em 2016 para 33 milhões no ano passado, o que representa um crescimento expressivo de 117% em apenas cinco anos.

No entanto, a audiência alcançada não chega nem perto disso, o que demonstra existir ainda uma grande distância entre se declarar fã do esporte e consumi-lo de fato. 

Nos Estados Unidos, país que inventou a modalidade e, há cerca de 15 anos, começou a exportá-la para o mundo, o cenário é muito diferente. A NFL é a liga mais popular do país, o futebol americano um dos esportes mais praticados e o Super Bowl é o principal evento esportivo do ano. Para se ter uma ideia, o Super Bowl LVI atraiu a atenção de 112 milhões de espectadores na transmissão da NBC na TV americana, informação que foi divulgada pela própria emissora em um comunicado oficial.