Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Retomada

Com pandemia em queda, Poker tem melhor mês da história em agosto

Marca esportiva viu saltar vendas com volta da prática de esportes coletivos

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 10/09/2021, às 08h47

Frêdi Cauduro, diretor comercial da Poker, que bateu recorde de vendas em agosto - Divulgação / Poker
Frêdi Cauduro, diretor comercial da Poker, que bateu recorde de vendas em agosto - Divulgação / Poker

A Poker Esportes conseguiu, no mês de agosto, bater o seu recorde mensal de vendas e faturamento em quase 35 anos de história. De acordo com a empresa, o mês superou em 34% as receitas de julho, reforçando o sucesso da estratégia da marca em apostar na diversificação das linhas de produtos.

“A pandemia paralisou o futebol, e passamos a investir ainda mais nas linhas de produtos para esportes individuais, como ciclismo, natação, running e funcional. Aceleramos muito um processo de diversificação que já vinha acontecendo há oito anos. Foi o que manteve nosso patamar de faturamento no ano passado”, disse Frêdi Cauduro, diretor comercial da marca.

Agora, com a retomada dos esportes coletivos e o arrefecimento da pandemia, a Poker voltou a ver um forte crescimento nas vendas de produtos para o futebol. A marca é líder no mercado de luvas de goleiros.

MAQUINISTAS: Pandemia faz Poker mirar esportes individuais

“Agora que as quadras e os campos estão enchendo novamente, as lojas se veem desabastecidas, já que estavam com receio de investir sem uma perspectiva concreta de retomada. Os produtos estão saindo muito rapidamente, e os lojistas vão atrás de quem tem, além de produtos de qualidade, também estoque, como é o nosso caso”, afirmou Cauduro.

A Poker não reduziu a linha de produção no último ano, apostando em uma estratégia para evitar o aumento de custos por um potencial aumento do preço da matéria-prima. Com isso, a marca tinha reserva para atender ao mercado agora.

“Vínhamos rodeando esse patamar nos últimos 60 dias, só não havíamos alcançado ainda a marca histórica, com a maior entrada de pedidos e o maior faturamento mensal em quase 35 anos”, completou o executivo.

Além dos artigos para futebol, a maior aposta da marca foi no investimento em modalidades individuais, como natação e ciclismo. De acordo com Cauduro, mais de 140 produtos para essas modalidades foram colocados no mercado somente neste ano.

“São de seis a sete lançamentos por semana. Tínhamos oito modelos de camisa para bicicleta antes do início da pandemia; agora, são 35. Estamos prontos para atender os diferentes patamares de exigência dos consumidores”.

As receitas da Poker com os produtos para bike cresceram 580% em relação a 2019, enquanto o incremento na linha funcional superou os 200%. A perspectiva para setembro é de que um novo recorde pode estar a caminho.

“Ao longo da pandemia, sempre falávamos para a equipe de vendas: quando a retomada se consolidar, nosso patamar vai mudar. E é o que estamos vivendo”, concluiu Cauduro.