Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / De 23 a 26 de novembro

Comitê Paralímpico Brasileiro retoma Paralimpíadas Escolares com quase mil atletas

Cerimônia de Abertura será nesta terça-feira (23), com as disputas de 13 modalidades tendo início no dia seguinte

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 23/11/2021, às 14h29

Ao todo, serão 902 atletas de 25 unidades federativas; exceções são Alagoas e Minas Gerais - Divulgação / Comitê Paralímpico Brasileiro
Ao todo, serão 902 atletas de 25 unidades federativas; exceções são Alagoas e Minas Gerais - Divulgação / Comitê Paralímpico Brasileiro

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) promoverá, a partir desta terça-feira (23), a 14ª edição das Paralimpíadas Escolares, maior evento do mundo para jovens com deficiência em idade escolar, de 12 a 17 anos. A Cerimônia de Abertura ocorrerá no Hotel Holliday Inn, em São Paulo, a partir das 19h, e as competições começam na manhã desta quarta-feira (24). O evento será realizado até a próxima sexta-feira (26), no Centro de Treinamento Paralímpico, também na capital paulista. 

As Paralimpíadas Escolares são realizadas desde 2009, porém não ocorreram em 2020 por conta da pandemia de Covid-19. No retorno do evento em 2021, serão 902 atletas, de 25 unidades federativas (as exceções são Alagoas e Minas Gerais), que competirão em 13 modalidades: atletismo, basquete em cadeira de rodas (formato 3x3), bocha, futebol de 5 (para cegos), futebol de 7 (para paralisados cerebrais), goalball, judô, natação, parabadminton, parataekwondo, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado.  

Entre as novidades, esta é a primeira edição do evento que contará com o parataekwondo, modalidade que estreou no programa dos Jogos Paralímpicos em Tóquio 2020. Na capital japonesa, o Brasil conquistou três medalhas: um ouro, uma prata e um bronze.    

"As Paralimpíadas Escolares nos fazem descobrir diversos talentos nas mais variadas modalidades e fortalecem o paradesporto brasileiro de alto rendimento. De todos os medalhistas do país nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, 27 estiveram em alguma edição do evento. Isso mostra a relevância deste projeto dentro de um processo de continuidade de surgimento de novos atletas paralímpicos no cenário nacional", declarou Mizael Conrado, bicampeão paralímpico de futebol de 5 (para cegos) e atual presidente do CPB. 

O evento é considerado um grande celeiro de atletas, tendo sido responsável pela descoberta de vários medalhistas paralímpicos, como os velocistas Petrúcio Ferreira, Alan Fonteles, Verônica Hipólito e Washington Nascimento; o jogador de goalball Leomon Moreno; os nadadores Talisson Glock, Cecília Araújo e Mariana Gesteira; e os jogadores de futebol de 5 Tiago Silva e Jardiel Soares.  

Assim como nas outras edições, os Jogos terão a logística feita pelo próprio CPB, que é responsável por organizar e realizar o evento. Ao todo, serão utilizados três hotéis e cerca de 45 veículos para transporte na cidade (entre vans, ônibus e micro-ônibus), além da distribuição de mais de 14 mil refeições.