Dona do UFC fatura US$ 5 bilhões em 2021, mas tem prejuízo de US$ 72,7 milhões

A Endeavor, que tem entre seus ativos o UFC, fechou 2021 com um volume de negócios de US$ 5,077 bilhões, o que representa um aumento de 46% em relação ao ano anterior. O grupo superou suas próprias previsões e estima que o faturamento possa atingir até US$ 5,45 bilhões em 2022.

Apesar disso, a empresa ainda não superou os prejuízos decorrentes da pandemia. Em 2021, operou no vermelho em US$ 72,7 milhões, o que é significativamente menor do que o rombo de US$ 260 milhões de 2020. Além disso, a Endeavor obteve lucro de US$ 4,4 milhões no último trimestre do ano, o que dimensiona um resultado operacional positivo em 2022.

“Vimos um aumento significativo nos nossos negócios à medida que os fãs voltaram aos eventos ao vivo e a demanda por conteúdo premium acelerou“, disse Ariel Emanuel, CEO da Endeavor.

A divisão esportiva da companhia, que inclui o UFC, registrou recorde histórico de faturamento. A liga de artes marciais mistas alcançou sua melhor arrecadação em quase 30 anos de história, embora a Endeavor não especifique o peso que esta divisão tem dentro de seus negócios. A linha de propriedades esportivas faturou US$ 1,1 bilhão, o que representou um crescimento de 16% sobre 2020.

Eventos, experiências e direitos esportivos contribuíram com US$ 2 bilhões, 28% a mais que em 2020, graças à relativa volta à normalidade. Por outro lado, a representação, na qual a Endeavor foi reforçada por meio de compras de outras empresas, contribuiu com mais US$ 2 bilhões, o dobro do ano anterior.