Máquina do Esporte
Facebook Máquina do EsporteTwitter Máquina do EsporteYoutube Máquina do EsporteLinkedin Máquina do Esporte
Outros / Fator Streaming

Em um ano, ESPN perde 8 milhões de assinantes na TV a cabo nos EUA

Dados apresentados no relatório anual da Disney apontaram perda de quase 10% da base de clientes

Redação - São Paulo (SP) Publicado em 30/11/2021, às 06h32 - Atualizado às 06h34

ESPN perdeu base de assinantes na TV paga, enquanto crescimento do streaming sofreu estagnação - Divulgação / ESPN
ESPN perdeu base de assinantes na TV paga, enquanto crescimento do streaming sofreu estagnação - Divulgação / ESPN

O grande movimento mundial de encerramento de assinatura de TV a cabo tem deixado o grupo Disney preocupado. Na última quarta-feira (24), a empresa apresentou o relatório anual de assinantes da ESPN nos Estados Unidos. O documento apontou uma queda de 8 milhões de assinantes, cerca de 9,5% da base.

Uma das mais tradicionais emissoras esportivas americanas, a ESPN viu seu número de assinantes cair em quase 25% se forem considerados os números da última década. O fenômeno do streaming tem sido o grande motivador na crescente redução de assinantes de televisores à cabo e satélite no mercado em todo o mundo, sendo que nos EUA o fenômeno é ainda mais forte.

O que tem preocupado o grupo Disney é o fato de o canal de esportes ser considerado um dos mais importantes da tradicional TV por assinatura americana, e a queda representaria a tendência de que o produto irá se tornar defasado nos próximos anos.

Tanto que, desde 2018, a empresa trabalha cada vez mais forte no modelo digital de streaming com os produtos ESPN+, Disney+ e Hulu, que conquistaram um aumento em suas bases de assinantes em mais de 14% em relação ao relatório do ano anterior, divulgado também em novembro de 2020, um mês após o fechamento do ano fiscal do grupo Disney.

Mesmo com o aumento no número de assinantes de streaming, a ESPN teve uma queda na receita com as assinaturas, já que o produto via televisão a cabo gera um valor de US$ 10 por assinante do serviço, enquanto o ESPN+, no streaming, tem um valor de assinatura de US$ 6,99 por contrato. Com a venda de pacotes do Disney+ e do Hulu o custo do assinante é ainda menor.

Para o ano de 2022, a Disney projeta um investimento de até US$ 33 bilhões em direitos de transmissões esportivas e produção de conteúdo. O valor é cerca de US$ 8 bilhões acima do investido neste ano de 2021.